"Vós que lá do vosso império, prometeis um mundo novo...CUIDADO, que pode o povo, querer um mundo novo a SÉRIO!" In: António Aleixo

25/09/2011

A VOZ DA RAZÃO!




Pobres e Paranóicos…
João Pereira Coutinho na sua crónica com este título trás a lume um tema que há muito me interessa. Diz ele não ser possível discutir racionalmente a legislação laboral em Portugal. E porquê?
É que o debate assenta em premissas que à partida estão viciadas, a saber: O patrão é sempre um verme e o trabalhador uma vítima indefesa!
Assim, “donde facilitar os despedimentos quando o trabalhador trabalha pouco ou mal (uma impossibilidade estatística, como sabemos) é permitir que o patrão, essa besta em crisália, assuma a sua verdadeira natureza, esmagando o trabalhador”.
Tudo isto, para além de impedir a existência de empresas mais produtivas e competitivas e de um mercado que permita maior circulação de pessoas e mais baixos níveis de desemprego, exclui esta pergunta mais que prosaica: “não será do interesse de um patrão racional, e da empresa que ele dirige, manter um trabalhador eficiente?”
Segundo o cronista “abusos e patologias, sempre haverá. E para eles. Tribunal ou divã. Mas fazer de aberrações pontuais a base de qualquer legislação laboral é pura paranóia ideológica. E paranóia não cria emprego”!

E enquanto assim se pensar nunca mais sairemos da “cepa torta”! Isso digo eu há muitos anos…

JOSÉ SÓCRATES - O NOVO MILIONÁRIO PORTUGUÊS ?


O Correio da Manhã, na edição de hoje, apresenta 2 notícias muito curiosas, relacionadas com a actual situação do cidadão José Sócrates.

- Na 1ª. Página, informa que "Sócrates com licença da Câmara da Covilhã - Despacho publicado em Diário da República". Na página interior (29), a notícia é desenvolvida e, de acordo com o despacho publicado no DR, "foi concedida licença sem remuneração de longa duração" ao "técnico superior de engenharia José Sócrates Carvalho Pinto de Sousa, com início a 21 de Junho de 2011", cujo despacho foi assinada pelo Presidente da Autarquia, no dia 14 de Julho de 2011. A partir desta data, "José Sócrates goza de uma licença sem vencimento das funções de engenheiro da Câmara da Covilhã". O matutino informa que "actualmente, José Sócrates encontra-se em Paris (ver página 30), onde deverá dedicar-se a estudar filosofia".

- Na página 30, o jornalista Paulo Pinto Mascarenhas, na sua rubrica "Correio Indiscreto", intitula o artigo com "José Sócrates paga almoços em Paris". O artigo apoia-se na "história foi contada pelo secretário-geral da OCDE, o socialista mexicano Angel Gurria (amigo de José Sócrates), durante a sua visita a Portugal na semana passada". Num dos mais caros restaurantes italianos de Paris (as massas ali nunca custam menos de 100 euros por pessoa), o embaixador Polaco, em Paris ( a Polónia preside à União Europeia), tem convidado vários grupos de representantes políticos e diplomáticos para almoços e jantares. Angel Gurria foi o convidado de honra de um desses almoços, onde estavam 10 enviados diplomáticos da UE. O secretário-geral da OCDE foi informado que o ex-primeiro ministro de Portugal José Sócrates encontrava-se no restaurante. Gurria, que conhece bem Sócrates, foi cumprimentá-lo, apresentando o embaixador polaco e os restantes convidados. No final do almoço, já Sócrates tinha saído do restaurante, o embaixador polaco pediu a conta e, com espanto, foi informado pelo empregado de que estava tudo pago pelo "senhor de Portugal". O jornalista termina o artigo , "É caso para dizer que a crise não é para todos ...".

Acrescento: Como é que um cidadão, "sem vencimento" e ainda não "solicitou subvenção vitalícia ou subsídio de reintegração" pelas funções desempenhadas no Governo e no Parlamento, tem condições financeiras para estar um ano em Paris e, pelos vistos, almoçando nos restaurantes mais caros da capital francesa?

Publicada a 22 de Setembro no CM

24/09/2011

Não ter medo de ter medo!


"Não tenham medo" disse João Paulo II e nós não percebemos o que ele nos queria dizer...”

Uma nova abordagem deste tema...

http://ocheirodailha.blogspot.com/2011/09/sobre-o-medo.html

20/09/2011

Há sempre forma de se safarem…


Juíza considera tribunal comum incompetente para apreciar acção do BPN contra Oliveira e Costa, Dias Loureiro e outros ex-responsáveis do grupo.
Saiba mais na edição em papel do jornal 'Correio da Manhã'

NOTA:
Você ainda pensava que os políticos podem ser condenados? Estava profundamente enganado. Desiluda-se. São imunes e impunes. Mas tenha cuidado. Você pode ir parar à pildra, por uma pequena falha de poucos euros.

Veja o link abaixo

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/exclusivo-cm/tribunal-absolve-oliveira-e-costa-e-dias-loureiro

19/09/2011

GUERRA NUNCA MAIS!



Palavras para quê?

Enviado por email pela Amiga Mariazita

OPERA NO CASTELO DE S. JORGE!


Os portugueses se querem menos do mau simplesmente têm que procurar e olhar melhor à sua volta.
Temos tudo do bom e do melhor, mas é preciso ser curioso e procurar e não ficar à espera que nos caia no colo.
Abaixo o queixume, a esse só lhe chego lume!
Partilho assim uns vídeos de uma companhia de ópera portuguesa com a qual já trabalhei e que é dirigida por um grande amigo.

Simão Costa

15/09/2011

DUAS DE EMBAIXADORES...


1- A explicação é simples...

Um jovem diplomata português, em diálogo com um colega mais velho:


- Francamente, senhor embaixador, devo confessar que não percebo o que correu mal na nossa história.


Como é possível que nós, um povo que descende das gerações de portugueses que "deram novos mundos ao mundo", que criaram o Brasil, que viajaram pela África e pela Índia, que foram até ao Japão e a lugares bem mais longínquos, que deixaram uma língua e traços de cultura que ainda hoje sobrevivem e são lembrados com admiração, como é possível que hoje sejamos o mais pobre país da Europa ocidental?


O embaixador sorriu:

- Meu caro, você está muito enganado. Nós não descendemos dessa gente aventureira, que teve a audácia e a coragem de partir pelo mundo, nas caravelas, que fez uma obra notável, de rasgo e ambição.
- Não descendemos? - Reagiu, perplexo, o jovem diplomata - Então de quem descendemos nós?
- Nós descendemos dos que ficaram aqui...

2- A classe de um Embaixador...

Há dias, um aprendiz de jornalista brasileiro de Porto Alegre, de seu nome Polipio Braga, publicou a seguinte notícia: Portugal não merece ser visitada e os portugueses não merecem nosso reconhecimento.

Há apenas uma semana, em apenas quatro anos, o editor desta página visitou pela quinta vez Lisboa, arrependendo-se pela quarta vez de ter feito isto.
Portugal não merece ser visitada e os portugueses não merecem nosso reconhecimento.
É como visitar a casa de um parente malquisto, invejoso e mal-educado. Na sexta e no sábado, dias 24 e 25, Portugal submergiu diante de um dilúvio e mais uma vez mostrou suas mazelas. O País real ficou diante de todos. Portugal é bonito por fora e podre por dentro. O dinheiro que a União Europeia alcançou generosamente para que os portugueses saíssem do buraco e alcançassem seus sócios, foi desperdiçado em obras desnecessárias ou sumptuosas. Hoje, existe obra demais
e dinheiro de menos. O pior de tudo é que foi essa gente que descobriu e colonizou o Brasil. É impossível saber se o pior para os brasileiros foi a herança maldita portuguesa ou a herança maldita católica. Talvez as duas.

Esta Nota mereceu a seguinte resposta do nosso Embaixador:

Senhor Políbio Braga


Um cidadão brasileiro, que faz o favor de ser meu amigo, teve a gentileza de me dar a conhecer uma nota que publicou no seu site, na qual comentava aspectos relativos à sua mais recente visita a Portugal. Trata-se de um texto muito interessante, pelo facto de nele ter a apreciável franqueza de afirmar, com todas as letras, o que pensa de Portugal e dos portugueses. O modo elegante como o faz confere-lhe, aliás, uma singular dignidade literária e até estilística. Mas porque se limita apenas a uma abordagem em linhas muito breves, embora densas e ricas de pensamento, tenho que confessar-lhe que o seu texto fica-nos a saber a pouco. Seria muito curioso se pudesse vir a aprofundar, com maior detalhe, essa sua aberta acrimónia selectiva contra nós.

Por isso lhe pergunto: não tem intenção de nos brindar com um artigo mais longo, do género de ensaio didáctico, onde possa dar-se ao cuidado de explanar, com minúcia e profundidade, sobre o que entende ser a listagem de todas as nossas perfídias históricas, das nossas invejazinhas enraizadas, dos inumeráveis defeitos que a sua considerável experiência com a triste realidade lusa lhe deu oportunidade de decantar? Seria um texto onde, por exemplo, poderia deter-se numa temática que, como sabe, é comum a uma conhecida escola de pensamento, que julgo também partilhar: a de que nos caberá, pela imensidão dos tempos, a inapelável culpa histórica no que toca aos resquícios de corrupção, aos vícios de compadrio e nepotismo (veja-se, desde logo, a última parte da Carta de Pêro Vaz de Caminha), que aqui foram instilados, qual vírus crónico, para o qual, nem os cerca de dois séculos, que se sucederam ao regresso da maléfica Corte à fonte geográfica de todos os males, conseguiram ainda erradicar por completo.

Permita-me, contudo, uma perplexidade: porquê essa sua insistência e obcecação em visitar um país que tanto lhe desagrada? Pela quinta vez, num espaço de quatro anos? Terá que reconhecer que parece haver algo de inexoravelmente masoquista nessa sua insistente peregrinação pela terra de um "parente malquisto, invejoso e mal-educado". Ainda pensei que pudesse ser a Fé em Nossa Senhora de Fátima o motivo sentimental dessa rotina, como sabe comum a muitos cidadãos brasileiros, mas o final do seu texto, ao referir-se à "herança maldita católica", afasta tal hipótese e remete-o para outras eventuais devoções alternativas.

Gostava que soubesse que reconheço e aceito, em absoluto, o seu pleníssimo direito de pensar tão mal de nós, de rejeitar a "herança maldita portuguesa" (na qual, por acaso, se inscreve a Língua que utiliza). Com isso, pode crer, ajuda muito um país, que aliás concede ser "bonito por fora" (valha-nos isso !), a ter a oportunidade de olhar severamente para dentro de si próprio, através da arguta perspectiva crítica de um visitante crónico, quiçá relutante.

E porque razão lhe reconheço esse direito? Porque, de forma egoísta, eu também quero usufruir da possibilidade de viajar, cada vez mais, pelo maravilhoso país que é o Brasil, de admirar esta terra, as suas gentes, na sua diversidade e na riqueza da sua cultura (de múltiplas origens, eu sei).
Só que, ao contrário de si, eu tenho a sorte de gostar de andar por onde ando e você tem o lamentável azar de se passear com insistência (vá-se lá saber porquê!), pela triste terra dessa "gente que descobriu e colonizou o Brasil". Em má hora, claro!

Da próxima vez que se deslocar a Portugal (porque já vi que é um vício de que não se liberta) espero que possa usufruir de um tempo melhor, sem chuvas e sem um "dilúvio" como o que agora tanto o afectou. E, se acaso se constipou ou engripou com o clima, uma coisa quero desejar-lhe, com a maior sinceridade: cure-se!

Com a retribuída cordialidade de

Francisco Seixas da Costa
Embaixador de Portugal no Brasil

Admirável e Emocionante

O QUE FAZ SER-SE SIMPÁTICO!

Na Dinamarca, um motorista de ônibus somaliano chamado Mukhtar fez aniversário e foi trabalhar normalmente.
Ele está na empresa há bastante tempo, fazendo a mesma linha desde então.
É querido por todos por sua atenção e especialmente pelo sorriso que sempre carrega nos lábios.
Veja o que a companhia e os passageiros lhe prepararam.
Admirável e emocionante.
Nessas horas, choramos de felicidade desejando que todos os dias, em qualquer lugar, a vida fosse como esse dia do Mukhtar.

Enviado por email pela Amiga Mariazita

13/09/2011

É ASSIM QUE AS COISAS COMEÇAM...


Manifestação em Luanda / Angola

12/09/2011

LIÇÃO DE ECONOMIA!



Eis uma bela Lição de Economia que deve ser tida como exemplo! Na Vida de Trabalho só deve exigir Aquele que Vale!

Post retirado do Blogue “Miradouro” do Amigo João

09/09/2011

PRIMEIRO CONTACTO DA TRIBU TOULAMBI COM O HOMEM CIVILIZADO!



Trazer esse povo para a civilização, pode parecer grande conquista, ninguém pode avaliar a perda irreparável para eles, sem ambição, puros, até inocentes, certamente serão abandonados à própria sorte, passada a curiosidade, a única razão dessa aproximação.
De fato, é emocionante ver que existiam pessoas assim, em pleno século XX.
No vídeo abaixo (primeiro de uma série sobre esses nativos), disponibilizado pelo Jornal Opção, o director belga Jean-Pierre Dutilleux e sua equipe, foi registado o primeiro encontro de integrantes da tribo Toulambi com o “homem branco”.
A Tribo Toulambi é a tribo nómada mais isolada do mundo. Os seus habitantes são nativos da Papua-Nova Guiné, na Oceania. Eles tiveram seu primeiro contacto com europeus em 1976.
As suas reacções ao ver um homem branco são emocionantes. Preste atenção na pureza dos olhares e expressões! Um misto de curiosidade e espanto move-os, como se ali encontrassem um grande perigo. Eles avançam e recuam, procurando sempre ficar a uma distância segura. Com a respiração acelerada, o medo sempre presente, aproximam-se com cuidado e desconfiança, e, quando vencem a resistência inicial, passam a mão, sentem os músculos do desconhecido para, enfim, acreditar que aquele homem é igual a eles por baixo daquela pele tão alva. Depois eles tocam seguidas vezes em várias partes do corpo (braços, pernas, cabelo), como se quisessem garantir que eles são realmente ‘de verdade’. Dá impressão que eles pensaram que se tratava de um encontro com alguém morto, tanto assim que, logo depois de perceber que o humano estava vivo, eles tentaram limpar a pele pensando se tratar de cinzas ou algo do tipo.
Interessante ver como eles reagem ao primeiro contacto com o espelho (literalmente um artefacto de outro mundo para eles), objectos industrializados (facas, objectos de plástico). E, mais adiante no vídeo, quando o homem branco serve arroz para eles nada incrível acontece até que ele adiciona sal, então o gosto deixa o “índio” surpreso. Momento mágico!
Agora, o mais tocante e bonito é que um aperto de mãos, um dos mais antigos gestos da história da humanidade, rompe o medo e os une.
É um exercício interessante, colocar-nos na situação deles. Pensar, como seria ver algo totalmente fora do nosso habitual, mas, ao mesmo tempo, tendo algumas coisas igualzinhas a nós, pela primeira vez na vida? Quem sabe ver um homem roxo? Um alienígena? Sei lá…

Boa reflexão para um final de semana, não é?


Enviado por email pela Amiga Mariazita

08/09/2011

PS COM REGULAMENTO POLÉMICO!


O novo regime da bancada do PS na Assembleia da República que dá liberdade de voto aos deputados foi ontem aprovado com o voto contra de Santos Silva, ex-ministro da Defesa.
Entre as excepções à regra mais polémicas esteve a de compromissos internacionais, como a troika.
Alguns deputados queixaram-se de limitações. Será que pretendiam com isso não honrar os compromissos assumidos pelo PS enquanto Governo?

CIENTISTA PORTUGUESA DISTINGUIDA!


O trabalho da investigadora Margarida Machado sobre materiais com elevado grau de amortecimento foi distinguido pela Sociedade Americana de Engenheiros Mecânicos. Mais Alguém Português a merecer a atenção pelos seus trabalhos.

07/09/2011

TEMPO DE MUDANÇA!



Do Blogue "Sustentabilidade é Acção" da minha Amiga Manuela Araújo.

06/09/2011

Crise e preparação do futuro de PORTUGAL


Nova Constituição segundo António Barreto

Não apenas pelo artigo sobre a lição de Álvaro Barreto na Universidade de Verão do PSD, porque esse está ao vosso dispor nos jornais, mas pelos comentários que contêm pistas de raciocínio que julgo deverem ser meditadas. Os órgãos de soberania não podem perder tempo e oportunidades de revitalizar PORTUGAL. As promessas de «reformas estruturais históricas» devem ser realizadas, porque os portugueses estão a necessitar de vida melhor.

http://joaobarbeita.blogspot.com/2011/09/nova-constituicao-segundo-antonio.html

Enviado por e-mail pelo amigo João

NEM TUDO É CANTIGA / FMI

COIMBRA



Coimbra dos Estudantes.

700 (setecentos) anos depois, dentro do mosteiro de Santa Clara-a-Velha, canta-se de novo!

Uma linda (e conhecida) melodia entoada pelos ANTIGOS ORFEONISTAS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA (Portugal)

História do Fado!

02/09/2011

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA


Para que se inteirem:

45 mil são os euros por dia para a Presidência da República, nas contas do Palácio de Belém.


Assim descobriu o DN que a Presidência da República custa 16 milhões de euros por ano (163 vezes mais do que custava Ramalho Eanes), ou seja, 1,5€ euros a cada português (uma bagatela para os tempos que correm!)...


Dinheiro que, para além de pagar o salário de Cavaco, sustenta ainda os seus 12 assessores e 24 consultores, bem como o restante pessoal que garante o funcionamento da Presidência da República.


A juntar a estas despesas, há ainda cerca de um milhão de euros de dinheiro dos contribuintes que todos os anos serve para pagar pensões e benefícios aos antigos presidentes.


Os 16 milhões de euros que são gastos anualmente pela Presidência da República colocam Cavaco Silva entre os chefes de Estado que mais gastam em toda a Europa, gastando o dobro do Rei Juan Carlos de Espanha (oito milhões de euros) sendo apenas ultrapassado pelo presidente francês, Nicolas Sarkozy & Madame Carlita (112 milhões de euros) e ainda pela Rainha de Inglaterra Isabel, que custa 46,6 milhões de euros anuais.


Aníbal Cavaco Silva, veio-nos dizer: "os sacrifícios são para ser 'distribuídos' por todos os portugueses"...

Assim ficamos à espera dos “sacrifícios” que irão ser feitos na Presidência da República para bem de todos nós!


Comissão Europeia gastou milhões em festas e jactos privados


Ao mesmo tempo que pedia aos 27 para reduzirem custos por causa da crise, a Comissão Europeia gastou oito milhões de euros em jactos privados, festas "cocktail" e férias em resorts de luxo em locais exóticos. Durão Barroso gastou 28 mil euros em quatro noites em Nova Iorque.

As estadias na Papua Nova Guiné, Gana ou Vietname, para onde até levaram as suas famílias, chegaram a incluir comitivas de 44 pessoas. Já Durão Barroso, para passar quatro noites em Nova Iorque, em 2009, com os seus oito assistentes, pagou 28 mil euros.


Estes dados foram divulgados pelo jornal britânico "Daily Telegraph", que cita uma investigação do Bureau of Investigative Journalism, uma iniciativa sem fins lucrativos que se dedica a promover a investigação jornalística. De acordo com os dados recolhidos, só em viagens de avião privadas para os comissários foram gastos 7,5 milhões de euros, entre 2006 e 2010.

Só em festas de luxo foram gastos 300 mil euros, incluindo uma em Amesterdão - que custou 75 mil euros - que foi descrita como "cheia de maravilhas como nenhuma outra". Para estes eventos eram contratadas orquestras de topo, e ofereciam-se aos oradores de vários eventos jóias da prestigiada marca Tiffany. Em algumas deslocações, os comissários eram ainda transportados em limusinas, o que teve um custo de 110 mil euros.

Durão Barroso fez um gasto de 28 mil euros no hotel New York Península em Setembro de 2009, onde as suites custam 780€ por noite, aquando da participação na Cimeira da ONU para as Mudanças Climáticas. O limite para a estadia em Nova Iorque está definido, nos regulamentos da Comissão, em 275€ por noite. Contactada, a Comissão considerou que o valor é razoável porque os preços foram inflacionados pela Cimeira.

O jornal afirma que a divulgação dos dados causou uma onda de críticas no Reino Unido, e vários ministros de David Cameron terão reagido "furiosamente" aos gastos extravagantes. O ministro britânico para a Europa, David Lidington, disse que "é bastante evidente que a Comissão Europeia pode poupar antes de vir pedir aos governos mais dinheiro".

A Comissão Europeia decidiu aumentar em 4,9% o seu orçamento para 2012 face ao actual, o que só no Reino Unido vai significar um aumento de três mil milhões de euros em impostos.
Nota: Quem governa a UE à décadas... quem é? Alguém me poderá esclarecer esta minha dúvida?

xicoribeiro