"Vós que lá do vosso império, prometeis um mundo novo...CUIDADO, que pode o povo, querer um mundo novo a SÉRIO!" In: António Aleixo

01/08/2010

A DESERTIFICAÇÃO DO INTERIOR

Ainda a propósito do post Fogos florestais. Mais vale prevenir!!! , no Blogue “do Miradouro” lembro que a desertificação do interior é uma das principais causas dos fogos das matas. Não havendo populações rurais torna-se difícil manter os campos limpos e desmatados.
Poder-se-á dizer que as matas estão muito divididas e será, portanto, pouco viável que os seus proprietários possam arcar com os custos desses trabalhos.
Mas se houvesse um estudo exaustivo dessas parcelas e fossem devidamente cadastradas seria mais fácil de se estudar a forma do Estado em conjunto com os proprietários fazerem esses trabalhos de desmatação e limpeza das florestas evitando-se assim o perigo dos incêndios, diminuindo-se os custos que os mesmos acarretam para o Estado e para os proprietários dessas matas.
Tal estudo que deveria ser exaustivo, como se disse anteriormente, pois dessa forma poder-se-ia até levar ao aproveitamento de mão-de-obra prisional e à criação de postos de trabalho no interior criando-se, assim, interesses que poderiam vir a diminuir a desertificação que ora se verifica.
Este problema da desertificação foi bem tratado no Jornal de Notícias nos artigos que seguem nos links seguintes:

Menos 215 mil portugueses saíram do país para emigrar em cinco anos
"Os velhos morreram e os da minha idade foram embora"
“Haja saúde para trabalhar que eu faço o que for preciso"
"Vou ter muito com que me entreter no meu jardinzito"
"Mesmo com crise vive-se lá muito melhor que em Portugal"

Mas para isso haveria que existir competência e vontade política dos responsáveis por essas áreas o que me parece, de facto, não haver!

5 comentários:

Graça Pereira disse...

Querido Amigo
Aqui está um post que indica problemas...mas...aponta soluções e bastantes...Tanta coisa podia ser feita para impedir esta desertificaçao do interior...
Beijo amigo e boa semana.
Graça

Luis disse...

Minha Querida Amiga Graça,
Ando muito atrapalhado cheio de trabalhos mas não queria deixar de lhe agradecer as suas boas palavras.
Era bom que nos ouvissem... mas "eles" são surdos ou fazem ouvidos moucos... Infelizmente!!!
Um beijinho amigo.

poetaeusou . . . disse...

*
amigo
há muito dinheiro em jogo !
e alimenta muita gente,
não são só os patos bravos,
comilões urbanisticos das autarquias,
,
um abraço,
,
*

Mariazita disse...

Meu querido amigo Luis
Passei aqui por acaso e fiquei admirada ao verificar que o meu amigo tem continuado a postar...
Pelo mail que recebi tinha depreendido que as suas actividades ficavam suspensas até fim de férias. Afinal... tenho perdido as suas postagens :(((
Agora vou deixar de acreditar em si e passar por cá para ver com os meus olhos :)))

Pois é, meu amigo, as matas estão difíceis de cuidar, como muita coisa neste país.
O que parece que não compreendem (quem de direito) é que, com encerramente de escolas, hospitais e postos de saúde, estão a contribuir em grande escala para a desertificação do interior. E, sem gente para trabalhar, o trabalho não aparece feito.
Pode ser que ainda apareça alguém com dois dedos de testa, neste deserto que é o nosso campo político...

Bom fim de semana. Beijinhos

Fernanda disse...

Amigo Luís!

Tal como a Mariazita, também já o fazia no seu monte no Alentejo :))))

Vi o seu comentário no Sempre Jovens e vim cá visitá-lo e afinal está cá ainda, e dar cartas!!!!!

E verdade meu amigo, há formas de combater os incêndios (muitas). Uma delas passa pelo combate à desertificação, sem dúvida!

Beijinhos