"Vós que lá do vosso império, prometeis um mundo novo...CUIDADO, que pode o povo, querer um mundo novo a SÉRIO!" In: António Aleixo

31/05/2009

SIMBOLOS DOS PEDÓFILOS


Atenção a estes símbolos de pedofilia!

IMPORTANTÍSSIMO CONHECER, MESMO QUE A MAIORIA DAS PESSOAS POSSA USAR POR ACHAR BONITO.
Divulguem....DENUNCIEM....
FBI produziu um relatório em Janeiro sobre pedofilia. Nele estão colocados uma serie de símbolos usados pelos pedófilos para se identificar. Os símbolos são, sempre, compostos pela união de 2 semelhantes, um dentro do outro. A forma maior identifica o adulto, a menor a criança. A diferença de tamanho entre elas demonstra a preferência por crianças maiores ou menores.

Homens são triângulos, mulheres corações. Os símbolos são encontrados em sites, moedas, jóias (anéis, pingentes,.. .) entre outros objectos.

Os triângulos representam homens que adoram meninos (o detalhe cruel é o triângulo mais fino, que representam homens que gostam de meninos bem pequenos); o coração são homens (ou mulheres) que gostam de meninas e a borboleta são aqueles que gostam de ambos. De acordo com a revista, são informações recolhidas pelo FBI durante as suas investigações. A ideia dos triângulos e corações concêntricos é a da figura maior envolvendo a figura menor, numa genialidade pervertida de um conceito gráfico. Existe um requinte de crueldade, pois esses seres fazem questão de se exibirem em código para outros, fazendo desses símbolos bijutaria, moedas, troféus, adesivo etc. Infelizmente, é o design gráfico a serviço do mal.

SE VIR EM ALGUM CANTO, DENUNCIE!!!

AO ENCONTRAR UM SÍMBOLO DESSES, AVISE AS AUTORIDADES.

Recebido por e-mail, amiga Fernanda Moreira.
*Nota- estou a trancrever um e-mail recebido por achar de máxima importância e de interesse público.
Publicada por Fernanda Ferreira

29/05/2009

Burocracias nas Escolas

video

Conselhos de Bil Gates


Eis alguns conselhos que Bill Gates recentemente deu numa conferência numa escola secundária:

11 regras que os estudantes não aprenderão na escola.

Ele fala sobre como a "política educacional de vida fácil para as crianças" tem criado uma geração que não tem o conceito da realidade e como esta política tem levado as pessoas a falharem nas suas vidas profissionais, depois da escola.

Muito conciso, todos esperavam que ele fosse fazer um discurso de uma hora ou mais...Bill Gates falou em menos de 5 minutos, foi aplaudido mais de 10 minutos sem parar, agradeceu e foi-se embora no seu helicóptero...

Regra 1
A vida não é fácil, acostumem-se a isso.

Regra 2
O mundo não está preocupado com a vossa auto-estima. O mundo espera que vocês façam alguma coisa útil por ele, ANTES de vocês se sentirem bem convosco próprios.

Regra 3
Vocês não vão ganhar 5.000 dólares por mês assim que saírem da Universidade. Vocês não serão directores de uma empresa com carro e telefone à disposição antes de terem conseguido comprar o vosso próprio carro e telefone.

Regra 4
Se vocês acham que os vossos professores são rudes, esperem até terem um Chefe. Ele não vai ter pena de vocês.

Regra 5
Vender jornais velhos ou trabalhar nas férias não está abaixo da vossa posição social. Os vossos Avós têm uma palavra diferente para isso: eles chamam-lhe oportunidade.

Regra 6
Se vocês fracassarem, a culpa não é dos vossos Pais. Por isso não os culpem dos vossos erros, aprendam com eles.

Regra 7
Antes de vocês nascerem, os vossos Pais não eram tão críticos como agora. Eles só ficaram assim por pagar as vossas contas, lavar as vossas roupas e ouvir vocês dizerem que eles são "ridículos". Antes de quererem salvar o planeta para a próxima geração, desejando consertar os erros da geração dos vossos Pais, tentem limpar o vosso próprio quarto.

Regra 8
A vossa escola pode ter eliminado a distinção entre vencedores e perdedores, mas a vida não é assim. Em algumas escolas vocês não chumbam mais de um ano e têm tantas chances quantas vocês precisarem até acertar. Isto não tem NADA a ver com a vida real. Se pisarem o risco, são despedidos... Façam bem à primeira !

Regra 9
A vida não é dividida em semestres. Vocês não terão sempre os verões livres e é pouco provável que os outros empregados vos ajudem a cumprir as vossas tarefas no fim de cada período.

Regra 10
A televisão NÃO é a vida real. Na vida real, as pessoas têm que largar o «barzinho» ou a discoteca e ir trabalhar.

Regra 11
Sejam simpáticos para com os «estudiosos» - aqueles estudantes que muitos julgam que são uns idiotas. Existe uma grande probabilidade de vocês virem a trabalhar PARA eles um dia.
Publicada por A. João Soares

DÁ CÁ UMA RAIVA...


DÁ CÁ UMA RAIVA ...

Quando te vêem deitado, de olhos fechados, na tua cama, com a luz
apagada e te perguntam:
- Estás a dormir?
- Não! Estou a treinar para morrer!
________________________________

Quando a gente leva um electrodoméstico para a reparação e o técnico pergunta:
- Está avariado?
- Não!... É que ele estava cansado de estar em casa e eu trouxe-o para passear.
________________________________

Quando está a chover e percebem que vais sair à chuva, perguntam:
- Vais sair com esta chuva???
- Não, vou sair com a próxima...
________________________________

Quando acabaste de te levantar e vem um idiota (sempre) e pergunta:
- Já acordaste?
- Não. Sou sonâmbulo!
________________________________

O teu amigo liga para tua casa e pergunta:
- Onde estás?
- No Pólo Norte! Um furacão trouxe a minha casa para cá!
________________________________

Acabas de tomar banho e alguém pergunta:
- Tomaste banho?
- Não!... Está a chover no WC!!!!!
_____________________________

Três emigrantes vão à praia pela primeira vez.
Diz o primeiro: eh ... tanta água!
Diz o segundo: eh ... tanta areia!
Diz o terceiro: Ai...Ai Vamos embora antes que apareça o
cimento...
________________________________

O único sítio no mundo onde os carros andam na frente dos animais de carga
.... é nos super-mercados!
________________________________

Um homem todo contente à porta da maternidade por a mulher ter
dado à luz 5 gémeos, diz:
- Tenho cá um canhão!
Responde o médico:
- Veja lá se o limpa, porque saíram todos pretos.
_____________________________

Duas amigas caídas de bêbedas e aflitas para fazer xixi, vão
faze-lo no cemitério. Uma limpou-se à cuequinha e a outra como não tinha
limpou-se a uma fita de uma coroa de flores que estava perto.

No dia seguinte um dos maridos ligou ao outro:

- A minha mulher chegou bêbeda e sem cuecas acabei o casamento!
Diz o outro.
- Eu também! A minha trazia uma fita presa que dizia:
''jamais te esqueceremos. Carlos, Tiago, Pedro e todo o pessoal da
faculdade.''

Pedido de um filho aos Pais

“Não tenham medo de serem firmes comigo. Prefiro assim... Isto faz com que eu me sinta mais seguro. Não deixem que eu adquira maus hábitos. Dependo de vocês para saber o que é certo ou errado.

Fiquem atentos ao meu estudo e não façam minhas tarefas, assim ficarei preguiçoso e nada produzirei. Não me corrijam com raiva, nem na presença de estranhos.

Aprenderei muito mais se me falarem com calma e em particular. Sempre me falem a verdade e sejam honestos em seus sentimentos, assim aprenderei a ser uma boa pessoa quando crescer .
Não me protejam das conseqüências de meus erros. Às vezes eu preciso aprender pelo caminho áspero. Não levem muito a sério as minhas pequenas dores. Necessito delas para poder amadurecer.

Não me estraguem. Sei que não devo ter tudo o que peço. Só estou experimentando vocês.
Me satisfaço com coisas simples. Não precisa gritar comigo para que eu ouça vocês. O grito separa os nossos corações. Não sejam irritantes ao me corrigirem. Se assim o fizerem, eu poderei fazer o contrário do que me pedem.

Não me façam promessas que não poderão cumprir depois. Lembrem-se que isto me deixa profundamente desapontado.

Não ponham à prova a minha honestidade. Sou facilmente levado a dizer mentiras.

Não me apresentem um Deus carrancudo e vingativo. Isso me afastaria dEle. Só me apresentem a Deus se vocês conviverem com Ele. Senão, isso me tornará incrédulo.

Não desconversem quando faço perguntas, senão serei levado a procurar respostas na rua todas às vezes que não as tiver em casa. Não se mostrem para mim como pessoas infalíveis. Ficarei extremamente chocado quando descobrir um erro em vocês.

Não digam simplesmente que meus receios e medos são bobos ou não existem. Ajudem-me a compreendê-los e vencê-los. Não digam que não conseguem me controlar. Eu me julgarei mais forte que vocês. Não me tratem como uma pessoa sem personalidade. Não vivam me apontando os defeitos das pessoas que me cercam. Isso irá criar em mim, mais cedo ou mais tarde, o espírito de intolerância

Não se esqueçam que eu gosto de experimentar as coisas por mim mesmo. Não queiram ensinar tudo para mim. Não tenham vergonha de dizer que me amam. Eu necessito desse carinho e amor para poder transmiti-lo a vocês e aos outros. Não desistam nunca de me ensinarem o bem, mesmo quando eu parecer não estar aprendendo.

Não existe fórmula para a criação de um filho, mas pense! Duas doses de amor e uma de educação é um bom começo. O EXEMPLO não é a melhor forma de educar seu filho, ele é a única.”

Autor desconhecido.
Publicada por Celle






POEMA DO ANTÒNIO ALEIXO


Fim de semana emotivo na Serra da Estrela

video

AS NOVAS OPORTUNIDADES

Carta Aberta ao PM


Carta aberta ao primeiro-ministro

Público, 27.05.2009, Santana Castilho

A maior taxa de desemprego de sempre, uma dívida externa como nunca se viu e um défice nunca antes atingido

Senhor primeiro-ministro:
Como sabe, uma carta aberta é uma figura retórica. Usamo-la para dizer publicamente coisas que reputamos de interesse geral e para as quais queremos mobilizar os outros. É este o meu fito. Claro. Dispensando mantos negros de campanhas da mesma cor. A assinatura vai no fim. Responsabiliza e o senhor sabe quem se lhe dirige.
Quer acredite, quer não, começo por lhe confessar que tenho, repetidas vezes, verdadeira compaixão de si e da vida que construiu ao longo dos últimos anos. Não se pode sentir bem, mesmo que se julgue um salvador. Porque, objectivamente, o país que resulta da sua governação está pior do que o país que tomou e porque são muitos os que o têm por carrasco das suas existências. É, por exemplo, o caso do grupo profissional a que pertenço, os professores. A ministra e os secretários de Estado que o senhor descobriu infernizaram um sistema de ensino que já não precisava de ajuda para ser medíocre. Mas foram longe no cumprimento da missão que lhes determinou. Tornaram-no um caos. A responsabilidade, primeira e última, de tudo quanto aqui disse à sua dilecta ajudante, no meu último artigo, é sua. Sua, senhor primeiro-ministro! O senhor tem vindo perseverantemente a destruir a credibilidade da escola pública, a hipotecar o futuro da juventude e, com ela, do país.
Se aplicar a si próprio a ligeireza taylorista da avaliação do desempenho que impôs aos outros, estritamente assente em resultados, só pode concluir que falhou e não merece a renovação do contrato. Três exemplos, entre tantos: o senhor conseguiu a maior taxa de desemprego de sempre e uma dívida externa como nunca se viu na nossa história; sufocou-nos com a obsessão dos 3 por cento para, afinal, terminar a legislatura com um défice nunca antes atingido.
O senhor, no partido e fora dele, rodeou-se de iluminados fanáticos que lhe têm feito crer que as suas posições - melhor dizendo, imposições - são as únicas razoáveis, ainda que diametralmente opostas às da maioria a quem se destinam. E não me venha com o discurso da legitimidade que conquistou nas urnas. Começou a perdê-la no dia seguinte, quando deixou de cumprir o que prometeu aos que em si votaram.
Umas vezes de modo sub-reptício, outras de forma desavergonhada, fui assistindo à coacção social para aceitar ideias denominadas de progressistas, que não são mais que retrocessos civilizacionais. Falo da escola a tempo inteiro. Falo daquilo a que chamou escola inclusiva. Falo do desmembramento do Sistema Nacional de Saúde. Falo do desastre da Justiça e da produção legislativa pré-ordenada para fins diferentes dos do interesse colectivo. Falo do incentivo à bufaria e da continuada tentativa de domar a imprensa livre. Falo do TGV, do fim dos concursos públicos e dos ajustes directos, das derrapagens escandalosas de preços e dos favorecimentos mais que duvidosos. Falo do esbatimento desapropriado e inaceitável das fronteiras entre o Estado e o PS.
Os funcionários públicos, em geral, e os professores, em particular, foram apresentados à população como os responsáveis pelos males do país. O senhor pulverizou carreiras em nome de uma modernização que ninguém vê. Tornou tudo precário. Deitou borda fora gente experiente e competente para acabar contratando em outsorcing depois. O último ajuste directo foi feito com Freitas do Amaral, por 72.000 euros, para rever a lei das fundações. Naturalmente que não está em causa a competência do professor. Em causa está o princípio. Em causa está a memória, que ainda não se apagou, de outro contrato para colectar, por mais do triplo daquele valor, imagine-se, uma legislação que qualquer secretaria-geral dominava e utilizava no dia-a-dia.
Entrámos em campanha eleitoral. Três eleições seguidas, arrastadas, com os mesmos que nos trouxeram à encruzilhada a dizerem que têm as soluções para o país, sem que ninguém peça desculpa por ter sido protagonista dos mesmíssimos erros que aponta aos adversários. Entre eles, o senhor sobressai pela falta de credibilidade. Pelo que acabo de referir, a título paradigmático, mais pela falta de cabal e atempado esclarecimento de tanta trapalhada em que tem sido envolvido. Queria que a rectidão do seu carácter não fosse com frequência objecto de dúvida. Gostaria que os olhos nos olhos da argumentação política substituísse o absurdo e a mentira manipuladora do receituário definitivo. Mas como quer, por exemplo, que o cidadão comum tome a sério o combate apressado ao enriquecimento ilícito, simulado na mesma casa que se abriu, sem pudor político nem vergonha cívica, quase por unanimidade, ao deboche do financiamento partidário? Ou que seja generoso quando o vê, lá fora, ridiculamente exposto a falar em castelhano que não domina, ou a promover computadores manhosos numa cimeira internacional?
Reconhecem-lhe dons oratórios. Discordo. O senhor é tão-só um pugilista da frase previamente fabricada (para o observador atento são significativos os seus erros discursivos: diz perdão, faz rewind e carrega no forward para prosseguir sem pestanejar). O seu vício para reduzir a argumentação ao pugilato verbal é irrecuperável, mesmo que a tarefa seja entregue à equipa de Obama que, dizem, vai contratar. Tenho para mim que o que mais o aproxima desse político é o tom da pele. Imagine como vejo grande a distância que vos separa e difícil a tarefa daqueles técnicos de comunicação. Sejam quais forem os resultados, o senhor já perdeu. Porque resignou um povo a viver explorado, sem esperança e sem alegria.
Professor do ensino superior (s.castilho@netcabo.pt)

Presente da Amiga NÁ

Queijos

TENTA FAZER IGUAL.... SE FÔRES CAPAZ!

video

SUPORTAR O INEVITÁVEL

Eu poderia suportar todos os males que a vida me impusesse, menos uma coisa: a cegueira. Isso jamais eu poderia aguentar. Estas foram palavras do famoso novelista e dramaturgo americano, Booth Tarkington, vencedor do prêmio Pulitzer.
Cada um de nós poderia então questionar: dos males, das provas da vida, qual seria aquela ou aquelas que não suportaríamos? Todos temos limites e medos é certo. Então, até quando, ou, até o quê podemos, cada um de nós, suportar? O Sr Tarkington viveu uma experiência muito especial neste sentido.
Um dia, quando já estava com seus sessenta e poucos anos, olhou o tapete que cobria o assoalho. As cores estavam confusas, opacas. Não podia distinguir o desenho. Foi a um especialista. Soube então da trágica verdade: estava perdendo a vista. Um olho já estava quase inutilizado; o outro seguia o mesmo caminho. Acontecera-lhe o que ele mais temia.
E como foi que Tarkington reagiu diante do pior dos desastres? Será que pensou: Aí está! Eis o fim de minha vida... Não, absolutamente. Para sua própria surpresa, sentiu-se quase alegre. Lançou mão até mesmo do seu senso de humor.
Pequenas manchas flutuantes perturbavam-lhe a visão, passavam-lhe pelos olhos e impediam-no de ver. Contudo, quando a maior delas passava pelos olhos, costumava dizer:Olá! Lá está o vovô de novo! Para onde será que vai nesta bela manhã?
De que modo poderia o destino dominar tal Espírito? A resposta é: não poderia de maneira nenhuma. Quando a cegueira total o envolveu, ele comentou: Verifiquei que podia suportar a perda de meus olhos exatamente como o homem pode suportar qualquer outra coisa.
Se perdesse todos os meus cinco sentidos, sei que poderia viver dentro da minha mente, pois é através do cérebro que vemos, e é nele que também vivemos, quer saibamos disso ou não.
Na esperança de recuperar a vista, submeteu-se, nos anos seguintes, a mais de doze operações, delicadas, incômodas. Revoltou-se, por acaso, contra isso? Não. Sabia que isso precisava ser feito. Compreendia que não lhe era possível escapar de tal contingência. Aceitava tudo com extrema dignidade.
Recusou o quarto particular que lhe reservaram no hospital e foi para uma enfermaria comum, onde pudesse estar em companhia de outras pessoas que também sofriam reveses. Quando teve que se submeter às repetidas operações, procurava se lembrar do quanto era afortunado:
É maravilhoso! É maravilhoso ver-se como a ciência pode agora realizar operações numa coisa tão delicada quanto os olhos humanos! Muitos outros, passando por tudo que ele passou, teriam se transformado em trapos humanos e desistido de tudo, porém, Tarkington mostrou que é possível, que é sempre possível suportar o inevitável.
Suportar o inevitável significa ter resignação, esta aceitação do coração ao que a vida nos impõe pelas leis naturais do Universo. Sabendo que Deus é soberanamente justo e bom, e que Suas Leis são perfeitas, não há o que temer.
Os fardos que carregamos sempre são proporcionais à nossa capacidade de suportá-los. Os fardos sempre nos fazem mais fortes, mais esclarecidos e maduros, quando suportados com resignação e coragem.

27/05/2009

MÚSICA

video

Navegando à vela

O PREÇO DO CEREBRO

ÁFRICA

AMIZADE

A FRASE DO ANO


"Que bom seria se um deputado pegasse febre aftosa.
Aí... seríamos obrigados a sacrificar todo o rebanho!"

QUE BOM SERIA, OH DEUS!!!!! MANDA-A DEPRESSA E COM VIRULÊNCIA!!!!!!!

HÁ GENTE ESTÚPIDA... MAS ESTE ABUSA!

video

MULHER NÃO TRAI... MULHER SE VINGA! 2

O marido estava em seu leito de morte e chamou a mulher.Com voz rouca e já bem fraca, disse-lhe:

- Meu bem... chegue mais perto... Eu quero... lhe fazer uma confissão!


- Não, não - respondeu a mulher. - Sossegue e fique quietinho ai.


- Você não pode fazer esforço.


Mas mulher

- insistiu o marido. - Eu preciso morrer.. em paz!


- Eu quero te confessar algo!


- Está bem, está bem! Pode falar!


- É o seguinte.. - Eu sai... com a sua irmã... com a sua mãe e...
com a sua melhor amiga!

- Eu sei, eu sei meu AMOR, mas agora fique quietinho para que o
veneno faça efeito!

MULHER NÃO TRAI... MULHER SE VINGA! 1


Um homem sempre gozava sua mulher que era loira.

Um dia, ele passou na casa de seus amigos para que eles o acompanhassem até o aeroporto, porque sua mulher ia viajar.


Como sempre gozava com ela, ele disse na frente de todo mundo:


Amor, traz uma francesinha de Paris pra mim?


Ela abaixou a cabeça e embarcou muito chateada.


A mulher passou quinze dias na Franca.


O marido pediu que os amigos o acompanhassem novamente ao aeroporto.


Ao chegar lá, ele perguntou para a mulher:


Amor, você trouxe minha francesinha?


Ela disse:


- Eu fiz o possível.
Agora e só rezar para nascer menina!

O MENOR CONTO DE FADAS DO MUNDO

Era uma vez um rapaz que pediu uma linda garota em casamento:

Você quer casar comigo?


Ela respondeu:


NÃO!


E o rapaz viveu feliz para sempre, foi pescar, jogou futebol, conheceu muitas outras garotas, viveu com varias, visitou muitos lugares, sempre estava sorrindo e de bom humor, nunca lhe faltava grana, bebia cerveja com os amigos sempre que estava com vontade e ninguém mandava nele.

A moça teve celulite, varizes, engordou, os peitos caíram e ficou sozinha.


FIM.

PALAVRAS


"Sem tom nem som, Marinho Pinto tornou-se num caricato argumento a favor dos interesses que diz combater, aniquilando a lógica que o fez eleger talvez por muitos anos"
Carlos Abreu Amorim, Correio da Manhã