"Vós que lá do vosso império, prometeis um mundo novo...CUIDADO, que pode o povo, querer um mundo novo a SÉRIO!" In: António Aleixo

05/07/2011

A COMUNICAÇÃO SOCIAL E A SOCIEDADE


Angélico Vieira não resistiu ao brutal acidente de viação que sofreu e acabou de falecer. A geração “Morangos com Açúcar” já tem o seu mártir.

Para o caso não interessa nada que o carro circulasse na via pública sem seguro, ou que a maioria dos ocupantes não tivesse colocado o cinto de segurança.


Também parece não interessar a ninguém saber a que velocidade ia a viatura ouse condutor apresentava excesso de álcool ou drogas no sangue. Ninguém falou disso. A comunicação social em peso preferiu a exploração do efeito emocional e ficou por aí.


Mais ou menos na mesma altura morreu empresário Salvador Caetano. É verdade que o senhor tinha 85 anos e estava doente, mas a histeria mediática à volta do desaparecimento do jovem artista angélico Vieira, por contraste com a discrição da notícia da morte do empresário nos órgãos de informação dá-nos um excelente retrato da ordem de valores da sociedade actual.


Por aqui se vê que um jovem cantor e actor é muito mais importante do que um homem que subiu na vida a pulso, construiu um império industrial, contribuiu para a produção da riqueza nacional e deu emprego a milhares de pessoas.


Por aqui se vê que para muita gente é mais importante uma novela de duvidosa qualidade, com adolescentes, do que construir fábricas, criar empregos no país e dar pão a inúmeras famílias.


Apesar de tudo entendo muito bem a reacção dos adolescentes neste caso. A culpa desta inversão de valores nem sequer é deles. É da geração anterior, dos pais, que os educaram assim. Para a diversão e não para o trabalho.

3 comentários:

Carlos Albuquerque disse...

Caro amigo Luís:
Tem toda a razão.
Infelizmente, com a nossa parte de culpa, é este o mundo em que vivemos.
Abraço

Ana Martins disse...

Boa noite Luís,
Percebo perfeitamente o seu ponto de vista, mas não concordo na totalidade. A comunicação social falhou em só dar relevância à morte do actor e cantor Angélico, aí tem toda a razão. Contudo, trata-se de um jovem na flor da idade e é sempre muito triste ver jovens perderem assim a vida. Se formos a ver, outros jovens também a perderam nas mesmas circunstâncias e não foram falados.
O que tornou a morte de Angélico tão mediática foi o facto de ser figura pública e tão jovem.

Beijinho,
Ana Martins

Luis disse...

Caríssimos Amigos Carlos Albuquerque e Ana Martins,
Compreendo os Vossos pontos de vista mas custa-me ver estas diferenças que marcam uma forma de viver bem diferente daquela que me foi ensinada. Percebo que um acidente com um adolescente possa criar emoções fortes mas quase esquecer alguém que tanto fez pela Sociedade e pelo País é demais...
Obrigado pelas Vossas palavras e saudações amigas e solidárias.