"Vós que lá do vosso império, prometeis um mundo novo...CUIDADO, que pode o povo, querer um mundo novo a SÉRIO!" In: António Aleixo

30/10/2010

QUE OS SANTOS NOS AJUDEM...


Resta agarrarmo-nos aos santos!!!

Por mero acaso, passei nesta pequena localidade entre o Pinhão e S. João da Pesqueira, no Alto Douro Vinhateiro.
Com a crise reinante, acredito que, muito em breve, este será um local de grandes peregrinações...

À cautela, registei o local. Nunca se sabe o dia de amanhã!

Mais um exemplo de como se esbanja o nosso dinheirinho...


QUE LINDO EXEMPLO! O tal carro novo que compraram para as obrigações protocolares
2 de outubro de 2010
Depois da ressaca das novas medidas de austeridade que vêm aí ,os nossos governantes pedem poupança contenção e que façamos mais uma vez sacríficos.
Nem deixam assentar a poeira, adquirem de rajada uma viatura para convidados do Estado. Um Mercedes S450CDI no valor de 140.876 euros . A explicação dada, foi pelo custo de manutenção da anterior viatura e obrigações protocolares.
Um cidadão normal que tenha um carro antigo e a precisar de uma revisão geral o que faz? Não brinquem connosco. Se não temos dinheiro e estamos em restrições alugue-se um carro por uns dias ou compre-se um carro híbrido e mais em conta. Receber com dignidade não é o mesmo que sumptuosidade.
É uma vergonha! Depois queixem-se , o povo - «o povo é sereno» - tem que acordar para isto e muito mais. Esta noticia veio a lume, mas haverá outras peripécias que não se sabem. Definitivamente o exemplo não vem de cima e assim não vamos lá.
O Presidente da República deveria inviabilizar esta compra. Devido à cimeira da NATO compramos carros, e por outro lado são estes senhores europeus que nos mandam apertar o cinto. Um verdadeiro paradoxo...
Não seria vergonha nenhuma pedir um carro emprestado à Europa para as nossas obrigações protocolares.
Que dirão a maioria dos portugueses que gostariam de trocar de carro e não têm possibilidades para isso. Não há dinheiro não há gastos.
Este episódio mostra a nossa cultura permissiva - «quanto mais me bates mais gosto de ti» - mas que deve ser denunciada e condenada

DIVULGUEM. E REVOLTEM-SE.

Gastos Públicos!



ASSIM VAI O NOSSO PAÍS

Vejam o vídeo! É uma notícia da SIC.
Andam a descontar-nos no vencimento e a roubar o abono de familia a quem precisa, quando podiam acabar com estas festividades.
O Prof. Marcelo Rebelo de Sousa disse na TVI, no dia 10/10/10, que não divulga informações que lhe têm feito chegar porque "iria incendiar o país".
As pessoas estão a denunciar os casos, e alguns aparecem no Diário da República.
Fazem de nós parvos!

AVISO DA PSP COM PEDIDO DE ENCAMINHAMENTO


Cuidado com os pedintes (?) que estão nos sinais em Braga, Porto, Coimbra, Lisboa - Máfias de Leste.

Há dias 10 indivíduos deram um concerto de Musica sinfónica em apoio aos emigrantes de leste no teatro Gil Vicente em Coimbra. Depois de se apagarem as luzes para se dar inicio ao concerto, um deles sacou de uma metralhadora, enquanto os outros faziam a colecta dos bens e dinheiro transportado pelos espectadores. Acabado o trabalho, fugiram pelos bastidores.

Alertadas as autoridades, qual não foi o espanto ao saber-se que este grupo tem dado concertos semelhantes noutras cidades de província com o mesmo resultado. Aconteceu na semana passada na Av. Marechal Gomes da Costa no Porto em plena luz do dia. Seriam umas 15:30. Um sujeito ao parar nos semáforos foi abordado por um indivíduo de Leste, daqueles que costumam andar a tocar acordeão ou violino. O indivíduo tinha um ar simpático e abeirou-se dele a tocar o tal acordeão.

Ele decidiu dar-lhe 50 cêntimos, abriu o vidro e quando lhe estendeu a mão com a moeda, o indivíduo puxou-a violentamente e apontou-lhe imediatamente uma faca ao pescoço e obrigou-o a dar o telemóvel e a carteira, pondo-se imediatamente em fuga.. Nenhum dos condutores dos carros à volta se apercebeu ou fez qualquer coisa para o ajudar. A vítima dirigiu-se imediatamente a uma esquadra da polícia e contou o sucedido, onde, para espanto dele, foi informado de que já não era a primeira vez que isto acontecia, que já tinham cerca de 10 queixas de igual procedimento.

Penso tratar-se de uma rede organizada que também opera em Lisboa, de pedintes profissionais. Se reparar bem, a maior parte deles nem sabe tocar devidamente o instrumento, servindo-se dele como método de abordagem para posteriormente assaltar o incauto condutor. Esta rede também se dedica ao tráfico de crianças e roubo de bebés.

Em Espanha já houve algumas queixas que estes indivíduos de Leste roubaram bebés do banco traseiro dos carros.

Enquanto um toca ao lado do condutor, um cúmplice vai por trás e rouba a criança, vendendo-as depois para pais que desejem adoptar noutros países. Passem este e-mail ao maior número de amigos e conhecidos e futuramente, tenham cuidado com estes indivíduos.

Tranquem sempre as portas e fechem os vidros quando eles se aproximarem e desconfiem do aspecto simpático, pois normalmente são perigosos criminosos.

Divulguem este e-mail o mais que puderem e ajudem-nos a combater esta praga, porque amanhã pode ser um de nós.

Tenente António Santos Alonso
Comando Central da PSP Porto

Nota: Coincidência ou não, há cerca de uma semana que, nos meus passeios matinais, tenho constatado:
1- No semáforo do cruzamento da Rua das Campinas (topo leste do Colégio do Rosário) com a Av. da Boavista, está um artista, com linguajar estranho, a tocar violino.
2- Em frente, cruzamento da Av. Marechal Gomes da Costa, com Av. da Boavista, um outro toca acordeão.
Atenção a quem mora por estas bandas, ou por aqui passa

Enviado por e-mail pela minha Amiga Adelaide Quintas

25/10/2010

NEM 8 NEM 80


Viver ou Juntar dinheiro.

Há determinadas mensagens que, de tão interessantes, não precisam nem sequer de comentários. Como esta que recebi recentemente.
Li numa revista um artigo no qual jovens executivos davam receitas simples e práticas para qualquer um ficar rico.

Aprendi, por exemplo, que se tivesse simplesmente deixado de tomar um cafezinho por dia, nos últimos quarenta anos, teria economizado 30 mil reais. Se tivesse deixado de comer uma pizza por mês, 12 mil reais. E assim por diante.

Impressionado, peguei um papel e comecei a fazer contas. Para minha surpresa, descobri que hoje poderia estar milionário. Bastaria não ter tomado as caipirinhas que tomei, não ter feito muitas viagens que fiz, não ter comprado algumas das roupas caras que comprei. Principalmente, não ter desperdiçado meu dinheiro em itens supérfluos e descartáveis.

Ao concluir os cálculos, percebi que hoje poderia ter quase 500 mil reais na minha conta bancária. É claro que não tenho este dinheiro. Mas, se tivesse, sabe o que este dinheiro me permitiria fazer? Viajar, comprar roupas caras, me esbaldar em itens supérfluos e descartáveis, comer todas as pizzas que quisesse e tomar cafezinhos à vontade. Por isso, me sinto muito feliz em ser pobre.

Gastei meu dinheiro por prazer e com prazer. E recomendo aos jovens e brilhantes executivos que façam a mesma coisa que fiz. Caso contrário, chegarão aos 61 anos com uma montanha de dinheiro, mas sem ter vivido a vida.

Texto de Max Gehringer


"Não eduque seu filho para ser rico, eduque-o para ser feliz. Assim ele saberá o VALOR das coisas e não o seu PREÇO mas, simultaneamente, evite que ele seja CONSUMISTA”.

PARA TERMINAR A SEMANA A RIR

Numa estação de rádio canadiana, dão um prémio de 1000 a 5000 dólares à pessoa que contar um facto verdadeiro e que tenha ocasionado um verdadeiro embaraço, daqueles que nos fazem apetecer enfiar-nos pelo chão abaixo".

Esta história recebeu o prémio máximo ou seja, 5.000 dólares.

Tinha consulta no ginecologista marcada para essa semana mas tinham ficado de me avisar o dia e a hora.
De manhã cedo, recebo um telefonema da empregada do consultório informando que a minha consulta tinha passado para esse mesmo dia de manhã às 09h30.

Tinha acabado de tratar dos pequenos-almoços do meu marido, das crianças e ia no momento a começar a despachar-me, eram precisamente 08h45 fiquei em pânico, não tinha um minuto a perder!

Tenho a certeza que sou igual a todas as mulheres e que temos todas muito cuidado e uma particular atenção com a nossa higiene pessoal, principalmente quando vamos ao ginecologista mas, desta vez, eu nem sequer tinha tempo de tomar um duche.
Subi as escadas a correr, tirei o pijama, agarrei um toalhete lavado e dobrado que estava em cima da borda da banheira, desdobrei o e
molhei-o passando-o depois, com todo o cuidado, pelas "partes intimas" para ter a certeza que ficavam o mais fresco e lavado possível.
Joguei o toalhete no saco da roupa suja, vesti-me e "voei" para o consultório.

Estava na sala de espera havia uns escassos minutos quando me chamaram para fazer o exame. Como já sei o procedimento, deitei-me sem ajuda na marquesa e tentei, como sempre faço, imaginar-me muito longe dali, num lugar assim como nas Caraíbas, ou em qualquer outro lugar lindo e pelo menos a 10.000 kms daquela marquesa.

Fiquei muito surpreendida quando o meu médico me disse:

- Oh lá lá !!!! Hoje de manhã fez um esforço suplementar mas ficou toda bonita!"

Não percebi muito bem o cumprimento, mas não respondi. Fui para casa nas calmas e o resto do dia desenrolou-se normalmente,
impei casa, cozinhei, tive tempo de ler uma revista, etc. Depois da escola, já acabados os seus deveres, a minha filha, de 6
anos, estava preparada para ir brincar quando gritou da casa de banho:

- Mamã! Onde é que está o meu toalhete?"

Gritei de volta que tirasse um toalhete do armário. Quando me respondeu, juro que o que me passou pela cabeça, foi
desaparecer da face da terra, o comentário do médico, martelava na minha cabeça sem descanso a minha filhinha disse-me só isto:

- "Não mamã, eu não quero um toalhete do armário, tenho falta é daquele que estava dobrado na borda da banheira, foi nesse que eu deixei todos os meus brilhantes e as estrelinhas prateadas e douradas!"

SORRIA, ENTÃO A VIDA NÃO É BELA?.... CLARO QUE É, PRINCIPALMENTE SE TIVERMOS A "DITA CUJA" TODA ESTRELADA !

Enviado por e-mail pela Amiga Mariazita

24/10/2010

PENSAR ALTO!!!

Ser curto, preciso e conciso é uma arte!
Joana Amaral Dias consegue-o ser com mestria.
Leiam o seu artigo abaixo e julguem-na.

A fuga das galinhas

Um gestor vale mais do que quem salva vidas e cria (vários tipos) de riqueza como um médico ou um cientista? Qual é o dom especial que possuem para que ganhem muito mais que todos os outros? Não se sabe. Mas essa ignorância não altera os rendimentos.

Mesmo que os resultados empresariais derivem de uma extensa cadeia. Mesmo que todas as empresas devam ter um papel social. Pois é. Os nossos trabalhadores são dos mais mal pagos da Europa, mas os gestores são dos mais bem pagos. Um gestor alemão recebe dez vezes mais que o trabalhador com o salário mais baixo na sua empresa. O britânico 14. O português 32. Mas, segundo um estudo da Mckinsey, Portugal tem dos piores gestores.

Logo, quando se fala em reduzir direitos e salários, a quem nos devemos referir? Lógico? Não. Dizem que os bons gestores escasseiam e é necessário recompensá-los. Senão, fogem do país. Ok. Então, é simples. Se são assim tão poucos, ide. Não serão significativos na crescente percentagem de fuga dos cérebros que estavam desempregados/explorados. Depois, contratem-se gestores alemães ou ingleses. Por lá, não rareia tanto a qualidade. Estão habituados a discutir não só ordenados mínimos como ordenados máximos. E sempre são mais baratinhos.

Joana Amaral Dias, Docente universitária

Bolero de Ravel em Israel

Para um Fim-de-semana tranquilo para amenizar as nossas agruras...

Enviado por e-mail pela Amiga Mariazita

20/10/2010

SAPIÊNCIA CHINESA



Nunca esqueça que existem quatro coisas na Vida que não se recuperam:
• A Pedra depois de atirada;
• A Palavra depois de proferida;
• A Ocasião depois de perdida;
• O Tempo depois de passado.


UM
Dê mais às pessoas do que elas esperam e faça-o com alegria.
DOIS
Case com alguém com quem goste de conversar. À medida em que forem envelhecendo a conversa se tornará cada vez mais importante.
TRÊS
• Não acredite em tudo que ouve;
• Não gaste tudo o que tem;
• Não durma tanto quanto gostaria.
QUATRO
Quando disser “eu te amo”, seja sincero.
CINCO
Quando disser “sinto muito”, olhe nos olhos da pessoa.
SEIS
Fique noivo pelo menos durante seis meses antes do casamento.
SETE
Acredite no Amor à primeira vista.
OITO
Não ria dos sonhos dos outros. Quem não tem sonhos tem muito pouco.
NOVE
Ame profundamente e com paixão. Pode ferir-se, mas é o único meio de viver uma Vida completa.
DEZ
Quando se desentender, lute limpo. Por favor nada de insultos.
ONZE
Não julgue alguém pelos seus parentes.
DOZE
Fale devagar mas pense depressa.
TREZE
Quando lhe fizerem uma pergunta a que não queira responder, sorria e pergunte – “Porque deseja saber?”.
CATORZE
Lembre-se que um grande Amor ou uma grande Realização envolve grandes Risco.
QUINZE
Diga “Saúde” quando alguém espirrar.
DEZASSEIS
Quando perder não perca a lição.
DEZASSETE
Recorde-se dos três “R’s”:
• Respeito por si mesmo;
• Respeito pelos outros;
• Responsabilidade pelos seus actos.
DEZOITO
Não deixe que uma pequena disputa afecte uma grande amizade.
DEZANOVE
Quando notar que cometeu um engano, tome providências imediatas para corrigi-lo.
VINTE
Sorria quando atender o telefone. Quem chama vai percebe-lo na sua voz.
VINTE E UM
Passe algum tempo sozinho e aproveite para reflectir.

Enviado por e-mail pela minha Amiga Adelaide Quintas

É Funcionário Público ou trabalha por conta do Estado?


Não se trata de Retenção na Fonte (IRS) mas de reduções. E compare com valores do Anexo.
É funcionário público ou trabalha no universo do Estado?
Então veja aqui quanto vai ganhar a menos se o corte salarial for aprovado.
http://economico.sapo.pt/noticias/funcao-publica-saiba-em-quanto-o-seu-salario-vai-ser-cortado_101005.html

VALORES MENSAIS!!!
420.000,00 € TAP administrador Fernando Pinto
371.000,00 € CGD administrador Faria de Oliveira
365.000,00 € PT administrador Henrique Granadeiro
250.040,00 € RTP administrador Guilherme Costa
249.448,00 € Banco Portugal administrador Vítor Constâncio
247.938,00 € ISP administrador Fernando Nogueira
245.552,00 € CMVM Presidente Carlos Tavares
233.857,00 € ERSE administrador Vítor Santos
224.000,00 € ANA COM administrador Amado da Silva
200.200,00 € CTT Presidente Mata da Costa
134.197,00 € Parpublica administrador José Plácido Reis
133.000,00 € ANA administrador Guilhermino Rodrigues
126.686,00 € ADP administrador Pedro Serra
96.507,00 € Metro Porto administrador António Oliveira Fonseca
89.299,00 € LUSA administrador Afonso Camões
69.110,00 € CP administrador Cardoso dos Reis
66.536,00 € REFER administrador Luís Pardal: Refer
66.536,00 € Metro Lisboa administrador Joaquim Reis
58.865,00 € CARRIS administrador José Manuel Rodrigues
58.859,00 € STCP administrador Fernanda Meneses
3.706.630,00 €

51.892.820,00 € Valor do ordenado anual (12 meses + subs Natal + subs férias)
926.657,50 € Média Prémios
52.819.477,50 €


E este também serve?

ESCANDALOSO!!! RTP - EMPRESA PÚBLICA PAGA SALÁRIOS OFENSIVOS
AJUDEM A DIVULGAR
SALÁRIOS COMO ESTES É QUE O GOVERNO DEVE CORTAR TANTO NO SUBSÍDIO DE
FÉRIAS E DE NATAL, COMO BAIXÁ-LOS EM 50% E NÃO APENAS EM 5% !!!
RAPIDAMENTE O PAÍS SAIRIA DA RECESSÃO E AÍ SIM, SERIA O "CAMPEÃO DO
CRESCIMENTO" COMO AFIRMOU SÓCRATES HÁ UNS TEMPOS ATRAS NUM JORNAL
DIÁRIO
.


Tratando-se a RTP de uma empresa pública, sustentada pelos nossos
impostos, interessante era comparar tais salários com os praticados na
SIC e TVI, empresas privadas.

Judite de Sousa (14.720 euros),
José Alberto de Carvalho (15.999euros) e
José Rodrigues dos Santos (14.644 euros), o dobro do que recebe o
primeiro-ministro José Sócrates e muito mais que o Presidente da República.
José Alberto Carvalho tem como vencimento ilíquido e sem contar com as
ajudas de custos a quantia de 15.999 euros por mês, como director de informação.
A directora-adjunta. Judite de Sousa, 14.720 euros.
José Rodrigues dos Santos recebe como pivôt 14.644 euros por mês.
O director-adjunto do Porto, Carlos Daniel aufere 10.188 euros brutos,
remunerações estas que não contemplam ajudas de custos, viaturas Audi de serviço e mais o cartão de combustíveis Frota Galp.
De salientar que o Presidente da República recebe mensalmente o salário ilíquido de 10.381 euros e o primeiro-ministro José Sócrates recebe 7.786 euros

Outros escândalos:
Director de Programas, José Fragoso: 12.836 euros
Directora de Produção, Maria José Nunes: 10.594
Pivôt João Adelino Faria: 9.736
Director Financeiro, Teixeira de Bastos: 8.500
Director de Compras, Pedro Reis: 5.200
Director do Gabinete Institucional (?), Afonso Rato: 4.000
Paulo Dentinho, jornalista: 5.330
Rosa Veloso, jornalista: 3.984
Ana Gaivotas, relações públicas: 3.984
Rui Lagartinho, repórter: 2.530
Rui Lopes da Silva, jornalista: 1900
Isabel Damásio, jornalista: 2.450
Patrícia Galo, jornalista: 2.846
Maria João Gama, RTP Memória: 2.350
Ana Fischer, ex-directora do pessoal: 5.800
Margarida Neves de Sousa, jornalista: 2.393
Helder Conduto, jornalista: 4.000
Ana Ribeiro, jornalista: 2.950
Marisa Garrido, directora de pessoal: 7.300
Jacinto Godinho, jornalista: 4.100
Patrícia Lucas, jornalista: 2.100
Anabela Saint-Maurice: 2.800
Jaime Fernandes, assessor da direcção: 6.162
João Tomé de Carvalho, pivôt: 3.550
António Simas, director de meios: 6.200
Alexandre Simas, jornalista nos Açores: 4.800
António Esteves Martins, jornalista em Bruxelas: 2.986 (sem ajudas)
Margarida Metelo, jornalista: 3.200

ISTO É UM ESCÂNDALO!

Vencimentos justos: Directores: 5.000 euros sem ajudas de custos
Pivôt: 3.500 sem ajudas de custos
Jornalistas: Três escalões -
Escalão A: 3.000
Escalão B: 2.400
Escalão C: 1.900

Tanto mal dizem estes jornalistas, dos Funcionários Públicos.....
queria dizer Trabalhadores em Funções Públicas!
Diário da República nº 28 – I série- datado de 10 de Fevereiro de 2010 – RESOLUÇÃO da Assembleia da República nº 11/2010.

Poderão aceder através do site

http://www.dre.pt/

Algumas rubricas do orçamento da Assembleia da Republica
1 – Vencimento de Deputados ………………………12 milhões 349 mil Euros
2 – Ajudas de Custo de Deputados……………………2 milhões 724 mil Euros
3 – Transportes de Deputados ………………………..3 milhões 869 mil Euros
4 – Deslocações e Estadas ………………………..…..2 milhões 363 mil Euros
5 – Assistência Técnica (??) ……………………….…2 milhões 948 mil Euros
6 – Outros Trabalhos Especializados (??) ……………3 milhões 593 mil Euros
7 – RESTAURANTE,REFEITÓRIO,CAFETARIA……………..961 mil Euros
8 – Subvenções aos Grupos Parlamentares…………………..…..970 mil Euros
9 – Equipamento de Informática ………………….….2 milhões 110 mil Euros
10- Outros Investimentos (??) ………………………..2 milhões 420 mil Euros
11- Edifícios ………………………………………….2 milhões 686 mil Euros
12- Transfer’s (??) Diversos (??)…………………….13 milhões 506 mil Euros
13- SUBVENÇÃO aos PARTIDOS na A. R. ……….16 milhões 977 mil Euros
14- SUBVENÇÕES CAMPANHAS ELEITORAIS ..73 milhões 798 mil Euros

Em resumo e NO TOTAL a DESPESA ORÇAMENTADA para o ANO de 2010, é : € 191 405 356,61 (191 Milhões 405 mil 356 Euros e 61 cêntimos) – Ver Folha 372 do acima identificado Diário da República nº 28 – 1ª Série -, de 10 de Fevereiro de 2010.

Vamos lá então ver se isto agora já o começa a incomodar um “bocadinho”. Repare:
Cada deputado, em vencimentos e encargos directos e indirectos custa ao País, cerca de 700.000 Euros por ano. Ou seja cerca de 60.000 Euros mês.

E depois pedem sacrifícios ao povo.


O Tal que ainda ante ontem, antes da apresentação das novas edidas restritivas, aconselhava o Governo Português a dar um "CORTE SELVAGEM" nas despesas do Estado...
SILVA LOPES, 77 ANOS, NOMEADO ADMINISTRADOR DA EDP RENOVÁVEIS.

Creio que não andamos longe de uma escandaleira nova por semana! Já deve dar para o Guiness...
SILVA LOPES, 77 ANOS, NOMEADO ADMINISTRADOR DA EDP RENOVÁVEIS .

A pouca vergonha continua. Ao que isto chegou!

SILVA LOPES, com 77 (setenta e sete) anos de idade, ex-Administrador do Montepio Geral, de onde saiu há pouco tempo com uma indemnização de mais de 400.000 euros, acrescidos de várias reformas que tem, uma das quais do Banco de Portugal como ex-governador, logo que saiu do Montepio foi nomeado Administrador da EDP RENOVÁVEIS, empresa do Grupo EDP.

Com mais este tacho dourado, lá vai sacar mais umas centenas de milhar de euros num emprego dado pela escumalha política do governo, que continua a distribuir milhões pela cambada afecta aos partidos do centrão.

Entretanto, o Zé vai empobrecendo cada vez mais, num país com 20% de pobres, onde o desemprego caminha para níveis assustadores, onde os salários da maioria dos portugueses estão cada vez mais ao nível da subsistência.

Silva Lopes foi o tal que afirmou ser necessário o congelamento de salários e o não aumento do salário mínimo nacional, por causa da competividade da economia portuguesa. Claro que, para este senhor, o congelamento dos salários deve ser uma atitude a tomar (desde que não congelem o dele, claro).

Divulguemos mais esta afronta...

DEPUTADOS NA SUÉCIA


Será que os nossos políticos se candidatariam a deputado na Suécia?

É MUUUITO DIFERENTE DAQUI!!!!!!!!!

Desta forma não seria necessário aumentar os impostos da forma como o têm feito!!!

Aprendam a lição...

Vejam o link abaixo

http://sorisomail.com/email/86386/alguem-se-candidata-a-deputado-na-suecia-vejam-bem-como-deveria-ser-por-ca.html

19/10/2010

Amazing Grace‏


História da música "Amazing Grace (Maravilhosa Graça)"

http://www.youtube.com/watch?v=Uv2TUYTRbVU

Há vídeos que merecem ser vistos. É o caso deste. Desafio-vos a vê-lo e emocionarem-se.

DEPUTADOS NO REINO UNIDO


Não é de estranhar, mas é interessante saber... como tudo é diferente...

Os deputados do Reino Unido, na "Mãe dos Parlamentos",

1 . Não têm lugar certo onde sentar-se, na Câmara dos Comuns;
2 . Não têm escritórios, nem secretários, nem automóveis;
3 . Não têm residência (pagam pela sua casa em Londres ou nas províncias);
detalhe: e pagam, por todas as suas despesas, normalmente, como todo e qualquer trabalhador;
4 . Não têm passagens de avião gratuitas, salvo quando ao serviço do próprio Parlamento.
E o seu salário equipara-se ao de um Chefe de Secção de qualquer repartição pública.

Em suma, são SERVIDORES DO POVO e não PARASITAS do mesmo. Como seria bom que por cá fosse igual... Não seriam necessários tantos aumentos de impostos!!!

A propósito, sabiam que, em Portugal, os funcionários não deputados que trabalham na Assembleia têm um subsídio equivalente a 80 % do seu vencimento? Isto é, se cá fora ganhasse 1000,00 ¤ lá dentro ganharia 1800,00 ¤. Porquê? Profissão de desgaste rápido?
E por que é que os jornais não falam disto?
Porque têm medo? Ou não podem?

Ex-primeiro-ministro islandês julgado por causa da crise


Se em Portugal se procedesse assim acabaria de vez este "carnaval" em que vivemos. Há que responsabilizar quem nos governa ou (des)governa!!!
Vejam os links abaixo

http://tsf.sapo.pt/PaginaInicial/Internacional/Interior.aspx?content_id=1673579

http://www.vidanaislandia.com/files/e3deb4d0516347de5d965573def3dcb8-276.html

17/10/2010

Mais um BIG BROTHER???


Cuidado com o Cartão de Cidadão

Há cerca de um mês, o meu Bilhete de Identidade caducou e passei a ser portadora do Cartão de Cidadão. No momento do levantamento deste, na Loja do Cidadão, fui confrontada com cuidados mais complexos do que os até então utilizados para o levantamento de BI (entrega ao próprio, identificação pelas impressões digitais dos indicadores direitos e esquerdos, assinatura presencialmente da recepção).

Perante o avolumar de falsificações de documentos a que hoje se assiste, todos estes cuidados pareceram-me correctos.

Apercebi-me, contudo, que o cartão contém diferentes informações não visíveis (que me dizem respeito) e às quais só tenho acesso com um leitor de cartões. Aparelho que o comum dos mortais não possui. Refiro-me concretamente a todas as informações recolhidas nos documentos que este novo cartão congrega: direcção, freguesia, data de validade?

Há 3 dias tive de me deslocar a Lisboa e pernoitar num Hotel. Aí pediram-me o BI. Obviamente, apresentei o meu novo Cartão do Cidadão.

Qual não foi o meu espanto quando percebi que o jovem que me atendeu colocou o meu cartão de Cidadão num leitor de cartões e, num segundo, teve acesso a mais informações sobre mim do que eu própria!!! (foi ele mesmo que me disse que até via data de validade, que eu ainda não sei qual é!!!!!)

Meus amigos, isto faz algum sentido?

Então, têm todos os cuidados para entregar o cartão ao próprio cidadão e depois qualquer sujeito privado ou público tem acesso a esses dados? Deixam omissas informações que depois qualquer pessoa tem acesso desde que tenha um leitor? Então o leitor de cartões não está acessível exclusivamente a organismos públicos? Para que diabo é que um serviço privado, como um hotel, tem acesso à minha vida toda?

Onde está o direito à não invasão da minha privacidade?

Todos estes dados, em conjunto, permitem o acesso a outras informações da minha vida pessoal e profissional, através da internet. Ex: a página pessoal de qualquer funcionário público.

Que raio de prevenção contra a falsificação de documentos é esta?

Será que ninguém percebeu ainda que, assim, a cópia da identidade de alguém se torna simples e eficaz? Basta roubar um simples documento.

O complicador é só ter um chip? Mas alguém acredita nisso?

Cá por mim, nunca mais apresento o cartão de Cidadão em lado nenhum.

A carta de condução (que também é um documento identificativo) vai passar a servir muito bem.

Nota:
Segundo a informação que me foi fornecida, todos os Bancos terão leitores para poderem comprovar dados e, nós, os particulares, podemos também comprar um leitor o que em transacções futuras, com o Estado, servirá de assinatura digital.
Desconheço a veracidade desta informação que me foi enviada por email pela minha Amiga Lúcia Candeias mas, de qualquer forma, é melhor prevenir do que remediar… Pois cada vez mais estamos a ser “vasculhados” sem saber qual os efeitos que isso possa trazer para nos manipularem e nos escravizar!!! Será por isso que pretendem acabar com o BI militar???
Pessoalmente como tenho os BI’s vitalícios vou-os mantendo…



15/10/2010

NÃO HÁ MESMO VERGONHA!!!

Editorial Jornal de Negócios

É um acordar violento. Uma sova de 19 murros no estômago, tantos quantas as medidas apresentadas ontem. Os políticos falharam-nos. O Governo errou. Sócrates mentiu. Mas ontem isso acabou. Agora nós.
Nós. Nós não temos crédito nem temos credibilidade. É criminoso ter esperado tanto tempo para assumir o problema. Porque agora a cura é mais dura. É um corte profundo, a sangue frio.

Portugal vai iniciar um novo ciclo recessivo. Economia em queda, falências, desemprego, tudo o que esconjurámos. Os aumentos do IVA, os limites das deduções fiscais, os congelamentos das pensões transferem a crise dos desempregados para os empregados. Mas não havia alternativa. Não hoje. Não depois de dois anos perdidos sem fazer contas e a fazer de conta, para ganhar umas eleições e não cair noutras.

Ontem, Sócrates não caiu em si. Ontem, Sócrates caiu de si. Da sua pose impossível, que em vez de inspirar um optimismo reprodutivo transmitiu um irrealismo consumista. Este não é o Orçamento de Sócrates, é o Orçamento de Teixeira dos Santos. Foi o ministro das Finanças quem ontem governou. E só temos a desejar que continue a sê-lo. Porque este pacote acalma os mercados, mas não os faz retroceder de supetão. É preciso que o Parlamento aprove estas medidas, que o PSD obviamente viabilizará, com mais ou menos negociação. E é preciso concretizar as medidas e obter resultados.

Este ano estamos safos. A Portugal Telecom não paga um cêntimo de impostos pelo fabuloso lucro da Vivo, mas paga 750 milhões de euros para tapar o seu fundo de pensões e transferi-lo para o Estado, salvando o défice de 2010. A receita extraordinária de outros tempos, que funciona como antecipação de receitas. O Governo tentara com a banca, mas sem sucesso. Conseguiu com a PT.

É talvez falta de imaginação: receitas extraordinárias de um lado, aumento de IVA do outro. Mas há também o que nunca houve: a redução média de 5% da massa salarial na Função Pública. É quase como perder o subsídio de Natal a partir do próximo ano, mas em prestações mensais. Os funcionários públicos foram sacrificados por causa da incompetência acumulada e consecutiva dos seus gestores, sempre de cima para baixo. Mas só havia outra alternativa: cortar nas pensões. Era pior.

Nos próximos dias, milhares de economistas, comentadores e políticos desfilarão a glória de terem dito que assim seria: eis o Armagedão. Sim, foram milhares. E isso de nada serviu. Hoje somos um país falido. Mas não somos um país falhado. Porque apesar de tanta incompetência governativa, de tanta corrupção, nepotismo, grupos de interesse, de tantos escândalos silenciados, organizações subsidiadas, estranhos financiamentos partidários, mordomias e regalias, ineficiências e má gestão, temos outras coisas de que nos orgulhar. Sobretudo as que não dependem do Estado. Casos de inovação, exportação, investimento, descoberta.

Sim, é um acordar violento. Isto não é o princípio de um pesadelo, é o fim de um sonho. Sem pradarias nem trevas, apenas os pés no chão. O que fazer? Dizia ontem o ministro das Finanças: "estamos todos juntos nisto." Nestas alturas, somos sempre todos iguais. Eles contam connosco. E nós não contamos com mais ninguém.

Mãos à obra. Eles não fizeram o seu trabalho. Façamos nós o nosso. Restamo-nos. Bastemo-nos.

Pedro Santos Guerreiro - psg@negocios.pt

Atenção a esta análise Sócio-económica!


O Venerável Professor Kuing Yamang fala-nos da Europa!

Tudo se está a passar conforme as suas previsões e Portugal é um exemplo concreto do que ele diz. Andamos “drogados” e quando acordarmos será já tarde!

Veja-se o que ele nos diz no link abaixo

http://www.youtube.com/watch?v=DMKb9A6Kouk&feature=player_embedded

Paula Eduarda, 11 Anos - Uma Vencedora !


A menina é fantástica.
Il mio babbino caro, uma das mais belas árias, da ópera Gianni Schicchi, de Puccini
Cliquem no site abaixo

http://sorisomail.com/email/68156/paula-eduarda-11-anos--uma-vencedora.html

14/10/2010

A propósito de gastos inúteis...


Uma análise interessante…

Segunda-feira passada, a meio da tarde, faço a A-6, em direcção a Espanha e na companhia de uma amiga estrangeira; quarta-feira de manhã, refaço o mesmo percurso, em sentido inverso, rumo a Lisboa. Tanto para lá como para cá, é uma auto-estrada luxuosa e fantasma. Em contrapartida, numa breve incursão pela estrada nacional, entre Arraiolos e Borba, vamos encontrar um trânsito cerrado, composto esmagadoramente por camiões de mercadorias espanhóis. Vinda de um país onde as auto-estradas estão sempre cheias, ela está espantada com o que vê:
- É sempre assim, esta auto-estrada?
- Assim, como?
- Deserta, magnífica, sem trânsito?
- É, é sempre assim.
- Todos os dias?
- Todos, menos ao domingo, que sempre tem mais gente.
- Mas, se não há trânsito, porque a fizeram?
- Porque havia dinheiro para gastar dos Fundos Europeus, e porque diziam que o desenvolvimento era isto.
- E têm mais auto-estradas destas?
- Várias e ainda temos outras em construção: só de Lisboa para o Porto, vamos ficar com três. Entre S. Paulo e o Rio de Janeiro, por exemplo, não há nenhuma: só uns quilómetros à saída de S. Paulo e outros à chegada ao Rio. Nós vamos ter três entre o Porto e Lisboa: é a aposta no automóvel, na poupança de energia, nos acordos de Quioto, etc. - respondi, rindo-me.
- E, já agora, porque é que a auto-estrada está deserta e a estrada nacional está cheia de camiões?
- Porque assim não pagam portagem.
- E porque são quase todos espanhóis?
- Vêm trazer-nos comida.
- Mas vocês não têm agricultura?
- Não: a Europa paga-nos para não ter. E os nossos agricultores dizem que produzir não é rentável.
- Mas para os espanhóis é?
- Pelos vistos...
Ela ficou a pensar um pouco e voltou à carga:
- Mas porque não investem antes no comboio?
- Investimos, mas não resultou.
- Não resultou, como?
- Houve aí uns experts que gastaram uma fortuna a modernizar a linha Lisboa-Porto, com comboios pendulares e tudo, mas não resultou.
- Mas porquê?
- Olha, é assim: a maior parte do tempo, o comboio não 'pendula'; e, quando 'pendula', enjoa de morte. Não há sinal de telemóvel, nem Internet, não há restaurante, há apenas um bar infecto e, de facto, o único sinal de 'modernidade' foi proibirem de fumar em qualquer espaço do comboio. Por isso, as pessoas preferem ir de carro e a companhia ferroviária do Estado perde centenas de milhões todos os anos.
- E gastaram nisso uma fortuna?
- Gastámos. E a única coisa que se conseguiu foi tirar 25 minutos às três horas e meia que demorava a viagem há cinquenta anos...
- Estás a brincar comigo!
- Não, estou a falar a sério!
- E o que fizeram a esses incompetentes?
- Nada. Ou melhor, agora vão dar-lhes uma nova oportunidade, que é encherem o país de TGV: Porto-Lisboa, Porto-Vigo, Madrid-Lisboa... e ainda há umas ameaças de fazerem outro no Algarve e outro no Centro.
- Mas que tamanho tem Portugal, de cima a baixo?
- Do ponto mais a norte ao ponto mais a sul, 561 kms .
Ela ficou a olhar para mim, sem saber se era para acreditar ou não.
- Mas, ao menos, o TGV vai directo de Lisboa ao Porto?
- Não, pára em várias estações: de cima para baixo e se a memória não me falha, pára em Aveiro, para os compensar por não arrancarmos já com o TGV deles para Salamanca; depois, pára em Coimbra para não ofender o prof. Vital Moreira, que é muito importante lá; a seguir, pára numa aldeia chamada Ota, para os compensar por não terem feito lá o novo aeroporto de Lisboa; depois, pára em Alcochete, a sul de Lisboa, onde ficará o futuro aeroporto; e, finalmente, pára em Lisboa, em duas estações.
- Como: então o TGV vem do Norte, ultrapassa Lisboa pelo sul, e depois volta para trás e entra em Lisboa?
- Isso mesmo.
- E como entra em Lisboa?
- Por uma nova ponte que vão fazer.
- Uma ponte ferroviária?
- E rodoviária também: vai trazer mais uns vinte ou trinta mil carros todos os dias para Lisboa.
- Mas isso é o caos, Lisboa já está congestionada de carros!
- Pois é.
- E, então?
- Então, nada. São os especialistas que decidiram assim.
Ela ficou pensativa outra vez. Manifestamente, o assunto estava a fasciná-la.
- E, desculpa lá, esse TGV para Madrid vai ter passageiros? Se a auto-estrada está deserta...
- Não, não vai ter.
- Não vai? Então, vai ser uma ruína!
- Não, é preciso distinguir: para as empresas que o vão construir e para os bancos que o vão capitalizar, vai ser um negócio fantástico! A exploração é que vai ser uma ruína - aliás, já admitida pelo Governo - porque, de facto, nem os especialistas conseguem encontrar passageiros que cheguem para o justificar.
- E quem paga os prejuízos da exploração: as empresas construtoras?
- Naaaão! Quem paga são os contribuintes! Aqui a regra é essa!
- E vocês não despedem o Governo?
- Talvez, mas não serve de muito: quem assinou os acordos para o TGV com Espanha foi a oposição, quando era governo...
- Que país o vosso! Mas qual é o argumento dos governos para fazerem um TGV que já sabem que vai perder dinheiro?
- Dizem que não podemos ficar fora da Rede Europeia de Alta Velocidade.
- O que é isso? Ir em TGV de Lisboa a Helsínquia?
- A Helsínquia, não, porque os países escandinavos não têm TGV.
- Como? Então, os países mais evoluídos da Europa não têm TGV e vocês têm de ter?
- É, dizem que assim entramos mais depressa na modernidade.
Fizemos mais uns quilómetros de deserto rodoviário de luxo, até que ela pareceu lembrar-se de qualquer coisa que tinha ficado para trás:
- E esse novo aeroporto de que falaste, é o quê?
- O novo aeroporto internacional de Lisboa, do lado de lá do rio e a uns 50 quilómetros de Lisboa.
- Mas vocês vão fechar este aeroporto que é um luxo, quase no centro da cidade, e fazer um novo?
- É isso mesmo. Dizem que este está saturado.
- Não me pareceu nada...
- Porque não está: cada vez tem menos voos e só este ano a TAP vai cancelar cerca de 20.000. O que está a crescer são os voos das low-cost, que, aliás, estão a liquidar a TAP.
- Mas, então, porque não fazem como se faz em todo o lado, que é deixar as companhias de linha no aeroporto principal e chutar as low-cost para um pequeno aeroporto de periferia? Não têm nenhum disponível?
- Temos vários. Mas os especialistas dizem que o novo aeroporto vai ser um hub ibérico, fazendo a trasfega de todos os voos da América do Sul para a Europa: um sucesso garantido.
- E tu acreditas nisso?
- Eu acredito em tudo e não acredito em nada. Olha ali ao fundo: sabes o que é aquilo?
- Um lago enorme! Extraordinário!
- Não: é a barragem de Alqueva, a maior da Europa.
- Ena! Deve produzir energia para meio país!
- Praticamente zero.
- A sério? Mas, ao menos, não vos faltará água para beber!
- A água não é potável: já vem contaminada de Espanha.
- Já não sei se estás a gozar comigo ou não, mas, se não serve para beber, serve para regar - ou nem isso?
- Servir, serve, mas vai demorar vinte ou mais anos até instalarem o perímetro de rega, porque, como te disse, aqui acredita-se que a agricultura não tem futuro: antes, porque não havia água; agora, porque há água a mais.
- Estás a dizer-me que fizeram a maior barragem da Europa e não serve para nada?
- Vai servir para regar campos de golfe e urbanizações turísticas, que é o que nós fazemos mais e melhor.
Apesar do sol de frente, impiedoso, ela tirou os óculos escuros e virou-se para me olhar bem de frente:
- Desculpa lá a última pergunta: vocês são doidos ou são ricos?
- Antes, éramos só doidos e fizemos algumas coisas notáveis por esse mundo fora; depois, disseram-nos que afinal éramos ricos e desatámos a fazer todas as asneiras possíveis cá dentro; em breve, voltaremos a ser pobres e enlouqueceremos de vez.
Ela voltou a colocar os óculos de sol e a recostar-se para trás no assento. E suspirou:
- Bem, uma coisa posso dizer: há poucos países tão agradáveis para viajar como Portugal! Olha-me só para esta auto-estrada sem ninguém!
Miguel Sousa Tavares

José Sócrates & Helena André, Lda. - Um monumento à falta de vergonha

Há dias assistimos a mais uma das inúmeras peças da mais rasteira propaganda, que são a imagem de marca do inútil que faz de primeiro-ministro. Desta vez era a pomposa inauguração de mais uma creche, com direito à presença das televisões e ao adereço de mau gosto que é a ex “sindicalista” ministra do trabalho, Helena André.
O demagogo e mentiroso compulsivo aproveitou a ocasião para gabar a obra inexcedível do seu Governo, nomeadamente no que respeita à rede de creches. Chamou-lhe reforma «silenciosa, mas grande», dizendo que Portugal já ultrapassou a meta europeia em termos de cobertura.
«Ao longo destes últimos cinco anos as coisas mudaram muito e não me cansei de chamar a atenção para a necessidade de se resolver o problema crónico da falta de investimento em creches. Mas chegamos a 2010 e podemos dizer que o Estado Português irá suplantar o objectivo europeu (de ter mais de 33% de crianças integradas na rede de creches), atingindo no final deste ano 36%», sustentou, para acrescentar, triunfal, «Uma das minhas ambições é que, daqui a uns anos, quem se ocupar da política, não se ocupe com tanta urgência de áreas em que tínhamos um tão grande atraso».
Andou bem o “Jornal de Negócios”, que logo no mesmo artigo em que veiculou esta notícia, esclareceu que a creche tão pomposamente inaugurada pelo primeiro-ministro, era afinal uma creche privada, construída pelo “Grupo Auchan”, que irá, no futuro, construir mais algumas, sempre junto aos seus hipermercados e para servir, prioritariamente, os seus funcionários.
Isto leva-nos a outro artigo, também do “Jornal de Negócios”, onde se desmonta este mito, ou melhor, esta grande aldrabice, das centenas de creches “criadas” pelos governos de José Sócrates.
Aí se demonstra que «dos 324 novos estabelecimentos para crianças entre os 0 e 3 anos criados entre 2004 e 2008, 145 são da responsabilidade do sector lucrativo», ou seja, são simples negócios privados, montados com o único fim de ter lucros. «As Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) disponibilizaram a quase totalidade das restantes novas respostas (177), tendo a rede exclusivamente pública apenas mais duas creches do que no ano anterior à chegada dos socialistas ao poder». Apenas mais duas! Exactamente… mais duas!
Se estes números estão certos, repito: andou bem, o “Jornal de Negócios”!
Como disse a abrir, este homem é um inútil! Quando cair do lugar (mais cedo do que tarde, espero!) as suas “qualificações profissionais” serão tão imprestáveis quanto ele o foi para o país. Terá a sorte, como tantos outros antes dele, de vir a ser recompensado pelo seu trabalho político em favor dos “grupos auchans” e "sonaes" deste mundo, com um qualquer lugar de vogal ou administrador não executivo numa qualquer grande empresa, o que lhe permitirá manter o nível de qualidade do guarda roupa que o fez “o primeiro-ministro mais bem vestido do mundo” e, há bem poucos dias, o homem “mais sexy” de Portugal... pelo menos na cabeça das votantes leitoras do Correio da Manhã... e alguns leitores, muito provavelmente. http://samuel-cantigueiro.blogspot.com/2010/09/jose-socrates-helena-andre-lda-um.html

13/10/2010

AGORA ALGO DIFERENTE PARA LEVANTAR O "EGO"!!!

video

Como corrigir o Orçamento sem criar mais impostos

video

CORTE-SE NAS DESPESAS; NÃO SE AUMENTEM MAIS NOS IMPOSTOS!!!

RECORDA AS SEIS REGRAS PARA SE SER FELIZ!


Desfruta a Vida… Sacode-te!

1. Libertar o coração do ódio;
2. Libertar a cabeça de preocupações;
3. Acreditar que amanhã será melhor;
4. Viver com sinceridade;
5. Dar mais atenção aos outros;
6. Nunca esperar recompensas…


Como vês é fácil...É só querer!

12/10/2010

Sócrates e a Felicidade do Povo


Diz o Primeiro-ministro (Sócrates) para a Secretária:
"Vou atirar esta nota de 100 Euros pela janela e fazer um português feliz."
"Sr. Engenheiro, não acha preferível atirar 2 de 50 e fazer 2 portugueses felizes?" - diz a Secretária.
"Não faça isso, Sr. Primeiro-Ministro. Atire 20 notas de 5 e faça 20 portugueses felizes!" - diz o Escriturário lá no seu canto.
Ouvindo isto tudo, reage a senhora de limpeza:
"Porque é que o senhor Primeiro-ministro não se atira da janela e faz dez milhões de portugueses felizes?"

A AUTORIDADE DO ESTADO ESTÁ EM CAUSA!!!


Ao Fim e ao Cabo

Portugal sofre – entre outros males que não vêm ao caso – de falta de autoridade do Estado. Para que não restem dúvidas: não defendo um Estado autoritário que tudo pode e quer; não pretendo um País do ‘respeitinho’ imposto pelo cassetete; não quero um Estado da moral piedosa e dos bons costumes de catecismo.
Exijo do Estado, apenas, que cumpra as suas obrigações – e um dos deveres é não consentir agressões a polícias. Este ano já vai com 300 agressões. A facilidade com que em Portugal se bate em polícias demonstra como o Estado não é capaz de exercer a autoridade a que está obrigado em nome de todos nós. Não se perdeu o respeito: perdeu-se o sentido de cidadania – por culpa da fraqueza dos tribunais que hesitam em punir quem acha que pode atacar um polícia. O Tribunal da Relação acaba de suspender a pena aplicada a um grupo de desordeiros que espancaram um agente da PSP. A douta decisão, se não é um convite ao crime, gera um sentimento de impunidade com consequências terríveis. Ainda na última terça--feira, em Lisboa, quatro delinquentes deixaram um polícia entre a vida e a morte. O País, além dos anéis, arrisca perder a decência.


Manuel Catarino, jornalista

Entretanto há destas Coisas…

No dia das comemorações do centenário da República um grupo de simpatizantes monárquicos, na maioria alinhados com o blogue "31 da Armada", estava perto da Praça do Município e os participantes colocaram máscaras de Darth Vader, personagem da "Guerra das Estrelas" que tem sido a imagem de marca daquele blogue. O curioso é que foram abordados por polícias à paisana, vários deles de cabelos rapados e óculos escuros, que lhes quiseram tirar as máscaras, não se sabe bem por que razão nem por qual autoridade.

Noutra rua ali próxima um conhecido humorista da TV, Jel, dos Homens na Luta, fazia uma das suas habituais intervenções, proclamando que na sua opinião estamos numa república das bananas - e por esse facto foi detido e levado para identificação pela polícia. Num regime que se quer expoente da Liberdade, estes comportamentos são curiosos.

Mais elucidativo ainda é o relativo e dominante silêncio dos mídia sobre estas atitudes - e já agora também sobre as cerimónias evocativas da Monarquia que na mesma data ocorreram em Guimarães, sem dignitários do regime nem usufrutuários dos dez milhões de euros das festividades republicanas, mas com largas centenas de pessoas, que lá se deslocaram de propósito a expensas próprias, num ambiente de festa popular em contraste com o cinzentismo da Praça do Município.

A criatura

As autarquias fazem os centros escolares. Os institutos fazem jantares e esbanjam milhões em mordomias
Uma criatura chamada José Junqueiro, que substituiu na Secretaria de Estado da Administração Local um grande governante chamado Eduardo Cabrita, depois de um ano de mudo e eficaz silêncio que não contribuiu nem para o seu cadastro nem para o seu currículo, agora, falou. Aliás, a única coisa que o distingue. Fala. Apenas isso.
Esteve no governo e da façanha pode dar conta aos netos. Está cumprido o seu destino. Porém, esta semana decidiu atirar-se aos autarcas. À presa mais fácil e mais à mão. Porque o poder local, como se conhece, tem a idade do regime democrático, tem fraquezas, está exposto ao insulto fácil, à revolta e ao simplismo dos ódios. E é verdade que tem grandezas e misérias. Porém, estão ali, nas juntas de freguesia, nas câmaras, à mão de semear, próximos dos seus eleitores, sabendo directamente das mágoas e expectativas, escutando os lamentos de quem padece, de quem está desempregado, de quem sofre, as lágrimas de desesperados a quem a política nacional, comunitária e governamental pôs na margem da própria vida. Eleitos sempre expostos, desde o insulto à incompreensão, desde a chantagem à vilania.
E também à solidariedade, às obras, à solução dos problemas mais instantes das populações, aquelas que fizeram de Junqueiro governante mas nem sabem onde é o seu paradeiro, em que gabinete se esconde, em que labirinto se protege, feito de um peito que não se dá às balas. Este homem veio dizer que as autarquias têm de gastar menos e gastar melhor. Gastar, o quê? Seguramente não podem gastar os 100 milhões de euros que este governo retirou o ano passado. Nem os perto de 150 milhões que quer retirar agora. Para quê? Para anular o poder interventivo do poder local, para aumentar a angústia de milhões confrontados com a crise do qual esta criatura é um dos beneficiários, através do seu governo. Corta nos seus institutos, direcções gerais, comissões, governos civis e preguiça correlativa? Não. Aí não.
Nas autarquias. Que contribuíram com 14% para o endividamento, enquanto as estruturas dirigidas pelo seu governo contribuíram com 77%! É preciso descaramento. Não fosse o poder local e contavam-se pelos dedos das mãos as obras que o país tem para mostrar realizadas pelo governo do senhor Junqueiro. A começar pela rede escolar que tanta baba faz correr a quem nos governa. A EU e as autarquias fazem os centros escolares que vão polvilhando o país. Enquanto isso, os institutos fazem jantares de centenas de milhares euros, esbanjam milhões em mordomias, e, caladinhos, bem-comportadinhos, pois são eles que fazem do senhor Junqueiro uma pessoa importante para dizer disparates.

Francisco Moita Flores, professor universitário

Pobreza

Um país onde se admite a possibilidade de taxar o subsídio de Natal, ou mesmo acabar com ele, mas que gasta dinheiros públicos para TGV, altares, estádios de Futebol, frotas milionárias para gestores públicos (922 carros topo de gama, já em 2010), reformas obscenas a quem trabalha meia dúzia de anos ou nem tanto, etc. É, de facto, um país pobre. Mas, pobre de espírito, antes de mais!

O Martins é o motorista...

A medidazita que faltou
Ele é vogal de uma dessas entidades reguladoras portuguesas - insisto, não é ministro de país rico, é um vogal de entidade reguladora de país pobre - e foi de Lisboa ao Porto a uma reunião. Foi de avião, o que nem me parece um exagero, embora seja pago pelos meus impostos. Se ele tem uma função pública é bom que gaste o que é eficaz para a exercer bem: ir de avião é rápido e pode ser económico. Chegado ao Aeroporto de Sá Carneiro, o homem telefonou: "Onde está, sr. Martins?" O Martins é o motorista, saiu mais cedo de Lisboa para estar a horas em Pedras Rubras. O vogal da entidade reguladora não suporta a auto-estrada A1. O Martins foi levar o senhor doutor à reunião, esperou por ele, levou-o às compras porque a Baixa portuense é complicada, e foi depositá-lo de volta a Pedras Rubras. O Martins e o nosso carro regressaram pela auto-estrada a Lisboa. O vogal fez contas pelo relógio e concluiu que o Martins não estaria a tempo na Portela. Encolheu os ombros e regressou a casa de táxi, o que também detestava, mas há dias em que se tem de fazer sacrifícios. Na sua crónica nesta edição do DN, o meu camarada Jorge Fiel diz que o Estado tem 28 793 automóveis. Nunca perceberei por que razão os políticos não sabem apresentar medidas duras. Sócrates, ontem, ter-me-ia convencido se tivesse também anunciado que o Estado passou a ter 28 792 automóveis
.

Ferreira Fernandes

06/10/2010

Homenagem ao Camarada e Amigo Hugo dos Santos


Hugo tem H de Honrado,
De Homem, Honesto, Humano.
Dos Santos – Sacrificado,
Sensível, Simples, Soldado
- de porte palaciano,
quando uniformizado –
Em amizade o decano,
Por sempre a ter cultivado,
Cada dia, cada ano.

Austero, Disciplinado,
Respeitador, Educado,
De carácter persistente,
Exigente, responsável,
Mas humilde e sempre amável,
Nascido p´ra ser alguém.

Breve, afronta o destino,
Tão cedo lhe rouba o Pai,
Quão cedo lhe rouba a Mãe.
Sofre, mas não perde o tino.

Depois segue o seu caminho,
Determinado e com fé.
Vence espinho após espinho,
Até chegar ao que é:
Senhor Tenente General,
Militar de corpo inteiro,
Infante de Portugal !

Os teus Amigos de infância,
Sempre em total consonância,
Deixam-te aqui um abraço,
Sou eu o seu porta-voz.
E com que orgulho o faço!...

Viçoso Caetano,
O Poeta de Fornos de Algodres
Julho de 2010

03/10/2010

Manoel de Oliveira "Sempre Jovem" honorário



Como reinício das minhas actividades bloguistas achei oportuno trazer aqui uma prova de juventude de alguém que se tem mantido "Sempre Jovem" ao longo dos anos.