"Vós que lá do vosso império, prometeis um mundo novo...CUIDADO, que pode o povo, querer um mundo novo a SÉRIO!" In: António Aleixo

14/01/2011

Governador do Rio de Janeiro atribui tragédia das cheias a políticos que deixaram ocupar encostas





















O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, atribuiu, em parte, a tragédia das cheias que já matou mais de 430 pessoas na região serrana deste estado brasileiro à "desgraça do populismo", que permitiu a ocupação de encostas.
"Do início dos anos 80 para cá, as três cidades [Nova Friburgo, Teresópolis e Petrópolis] tiveram um grande problema – a desgraça do populismo, em que um político deixa ocupar áreas como se fosse um aliado dos pobres, mas quem paga, mesmo havendo casas de classe média atingidas, é a maioria, que é pobre", afirmou Sérgio Cabral, em conferência de imprensa, ao lado da presidente brasileira, Dilma Rousseff.
O governador disse que a maioria dos mortos nesta tragédia é de origem humilde e lembrou que a ocupação do solo urbano é da responsabilidade da municipalidade, conforme determina a Constituição. "Muitas vezes, educar é dizer não. Não pode ser construído. Quanto menos área de risco ocupada, menor o dano", vincou.
Sérgio Cabral anunciou ainda um empréstimo de mil milhões de reais (450 milhões de euros) do Banco Mundial para o programa habitacional Morar Seguro, cujo objectivo é tirar moradores das áreas de risco, garantindo que este recurso será libertado em breve.

Nota:

Tal como aconteceu na Madeira, no ano passado, esta tragédia foi agravada pela construção de imóveis em zonas impróprias para o efeito. A crueza das imagens demonstra bem o sofrimento a que as populações dessas zonas está ser sujeito!

8 comentários:

Luís Coelho disse...

Pergunto também quando será a nossa vez. O tempo e a natureza dar-nos-ão a nossa parte.
É preciso cuidar mais do nosso meio ambiente...................

São disse...

Paz às vítimas!

Eu também me lembrei logo da Madeira.

Quando é que os responsáveis aprenderão?

Bom final de semana, meu caro

Manuela Araújo disse...

Olá amigo Luís

A natureza cada vez está mais revoltada com as agressões que o Homem lhe vem fazendo. E está a fazer pagar bem caro os erros de desordenamento de território.

Com as alterações climáticas, cada vez são mais as revoltas da natureza.

O pior, é que são sempre os menos culpados que pagam a factura...

Mas a "natureza" tem a sua "crueldade", e não olha a culpados ou vítimas: ela tem pura e simplesmente de se defender...

Um abraço e bom fim de semana

Luis disse...

Meus Bons Amigos ,
O Meio Ambiente está em guerra com o Homem e este ainda não aprendeu que nela será sempre ele o vencido!
E ainda por cima é sempre o homem pobre que mais sofre não sendo ele o principal causador dessa mesma guerra...
Até quando mantemos esta guerra???
Um abraço amigo e solidário.

paula disse...

Que estas tragédias sirvam para que aprendamos a valorizar o que temos, a relativizar os nossos problemas e que cada um faça o pouco que puder pelo futuro do planeta.

parabéns pelo blog Luis! já tenho passado por cá, em silêncio...

A. João Soares disse...

Caro Luís,

Pela vida fora, vamos aprendendo coisas simples que toda a gente devia saber. Deus perdoa sempre, o homem perdoa às vezes, mas a Natureza nunca perdoa. Não se trata de vingança, mas de uma reacção lógica coerente com as leia da Física. Outra noção pouco divulgada é o LEITO DE CHEIA de qualquer linha de água. Trata-se da área aos lados do leito normal em que nada deve ser construído para que a cheia possa escoar sem causar danos graves..

Em Portugal tem havido casos graves embora muito mais suaves do que os do Brasil, por não ter sido respeitado o leito de cheia. Um café no Norte há cerca de meia dúzia de anos construído por uma linha de água onde só corria água em tempo de chuva ficou apenas com as paredes laterais e todos os ocupantes foram arrastados pela torrente e mortos.A água que se foi elevando nas trazeirras da casa que lhe impedia o caminho, acabou por abrir este destruindo a parede.
A baixa de Cascais foi muito danificada há três dezena de anos, por o túnel por onde obrigaram a água a passar entupiu. O Presidente Judas quis substituir o túnel por um canal, mas essa ideia ficou adiada para quando houver outra catástrofe. Há quase um ano, quando houve o problema na Madeira alertei o actual Presidente, mas não agiu confiante na protecção divina!!!

Quanto à Madeira, publiquei aqui os seguintes posts:

_http://domirante.blogspot.com/2010/02/tragedia-da-madeira-foi-prevista-ha.html
_http://domirante.blogspot.com/2010/02/respeitar-natureza-e-preciso.html
_http://domirante.blogspot.com/2010/02/tragedia-que-faz-pensar.html
_http://domirante.blogspot.com/2010/02/tragedia-evitavel-na-madeira.html
_http://domirante.blogspot.com/2010/02/diluvio-na-madeira-causa-32-mortos.html

Enfim, precisamos de políticos esclarecidos e dedicados mais aos interesses nacionais do que aos do seu clã.

Abraços
João
Do Miradouro

Celle disse...

Luis, meu caro amigo!
Realmente, comovente estas imagens!
Até guando vamos aceitar,passivamente, que todos os anos, a temporada de chuvas mate centenas de brasileiros? Moradores são culpados, mas, autoridades também, que aceitam ou fazem vistas grossas, às moradias em áreas de riscos.
Enchentes devastaram bairros inteiros em Terezópolis, região serrana do Rio de janeiro. Ruas se transformaram em leito de rio e centenas de corpos foram retirados dos escombros.Em Petrópolis cidade vizinha, que concentra hotéis e pousadas, condomínios de luxo, tudo desapareceu cobertos de terras, arvores e entulhos que desceram das encostas dos morros, são mais de 600 o numero de mortos nesta tragédia, pessoas ainda tentam identificar familiares desaparecidos.
Obrigada, amigo, por se sensibilizar com nossa dor!
Um abraço, Celle

Luis disse...

Minha Querida Amiga Celle,
Solidário que sou procuro sempre estar com quem sofre seja em território nacional (caso da Madeira) caso seja no Haiti, no Brasil ou noutra qualquer zona do Mundo. Actualmente na Austrália também estão a sofrer horrores com as cheias e inundações. Há uns tempos foram os incêndios nos USA. Enfim, tal como diz o João, é a Natureza a castigar-nos pelas atrocidades que o homem tem feito ao meio ambiente. E infelizmente parece que não aprende...
Um beijinho muito amigo.