"Vós que lá do vosso império, prometeis um mundo novo...CUIDADO, que pode o povo, querer um mundo novo a SÉRIO!" In: António Aleixo

23/05/2010

Saldanha Sanches vai fazer falta.


Na morte de Saldanha Sanches, a memória da última entrevista ao Económico. Com esta parte que diz tudo sobre a clarividência acerca da "crise da justiça" e o seu reflexo na corrupção:
"Como é que vê o facto de não ter sido decretada prisão preventiva a nenhum deles a não ser a Oliveira e Costa?
É essa a função principal do nosso Processo Penal: proteger essa gente.
Agora está a ser sarcástico.
Não, não. Estou a ser rigoroso. Está construído de forma que o objectivo do Código é a protecção dessa gente.
É um código viciado?
Completamente viciado. É um código que nos envergonha pelos resultados. Essa impunidade que o código garante é uma coisa que nos envergonha. O caso Madoff em Portugal seria impossível, mesmo que alguém resolvesse confessar tudo, e nunca o faria. Na América as pessoas confessam porque as consequências da não confissão são muito duras e apesar de tudo o menos mau é confessar. Em Portugal não são duras, mas mesmo que se confessasse o processo não duraria dois ou três meses. Duraria sempre muito mais, mesmo com o máximo de zelo do Ministério Público. Temos um Código do Processo Penal que é feito para proteger esse tipo de delinquência. Até protege em parte a outra delinquência, mas essa então, do colarinho branco, está totalmente protegida. Não me admiraria ver o Dr. Oliveira e Costa acabar absolvido. Não ficaria particularmente admirado. Sem falar no Dr. Jardim Gonçalves, que o mais provável é vir a ser absolvido

22 comentários:

Sandra disse...

RETRIBUO O SEU CARINHO E CARINHO.
SUA PRESENÇA É UM PRESENTE.

O tempo não pára! Só a saudade é que faz as coisas pararem no tempo...
Mário Quintana

FICO MUITO FELIZ QUANDO ESTÁ PRESENTE COMIGO.
“Quem faz um poema abre uma janela.
respira, tu que estás numa cela abafada,
esse ar que entra por ela.
por isso é que os poemas têm ritmo
- para que possas profundamente respirar.
quem faz um poema salva um afogado”

Mário Quintana

CARINHOSAMENTE, DEIXO O MEU ABRAÇO. VC. QUE ESTEVE AQUI HOJE, PRESENTE NA MINHA CASA.

A VIDA É BELA. A NOSSA AMIZADE MAIS AINDA.
MUITO OBRIGADA PELOS SEU CARINHO, MOMENTOS ESPECIAIS. EU E VOCÊ!!!

AGRADEÇO DO FUNCO DO MEU CORAÇÃO ESTE MOMENTO, QUE ESTEVE COMIGO HOJE. MUITO OBRIGADA A VOCÊ.
COMO É BOM QUANDO VENS.
FICO MUITO FELIZ. CARINHOSAMENTE,
SANDRA

Sandra disse...

SÃO COISAS QUE ACONTECEM..E NEM SEMPRE TEMOS AS EXPLICAÇÕES..
SANDRA

Sandra disse...

VOLTAREI PARA LEVAR O SELO DE ANIVERSARIO DO BLOG. PARABÉNS.
COMO É BOM TER OS AMIGOS BEM PERTINHO PARA COMEMORAR.
VI A FESTA NO BLOG DA ANA.
PARABÉNS MAIS UMA VEZ.
SANDRA

direitinho disse...

Ficam as palavras que não esquecemos e que também já conhecíamos de cor.
Para a Justiça e para os corruptos pouco adiantam.
Estes senhores nem torcem nem amolam.
.../...

Luis disse...

Meus Bons Amigos,
Sempre ouvi dizer que "água mole em pedra dura tanto dá até que fura"! Razão de estar sempre a lutar contra a corrupção e as injustiças!!!
Um abraço amigo.

poetaeusou . . . disse...

*
é assim amigo.
,
A imagem da justiça é de uma
figura com venda nos olhos,
para simbolizar imparcialidade
a mesma lei deveria ser aplicada
tanto para pobres como para ricos,
tanto para um banqueiro como
para um operário, na verdade,
a venda não existe
a justiça só tem um lado,
o lado daqueles que têm
muito dinheiro e são poderosos !!!
,
abraço,
,
*

Luis disse...

Amigo Poeta,
Tem toda a razão, mas espero que em breve com o cinto apertando nas costas os cegos comecem a ver e a insurgir-se.
Conforme vários post's aqui colocados começa a haver uma onda de fundo que talvez, se bem aproveitada por quem saiba e queira, venha a resultar numa melhoria para todos nós!!!Mas há que ter cautelas para não haver novos "aproveitadores"...
Um abraço amigo.

Jacque disse...

Oi querido amigo!!!!!!!!!!!!!!! Vim agradecer seu comentário no Blog: SENTIMENTOS.
Até o final da semana já tem outro vídeo lá... Apareça, por favor.

Beijo

Mariz disse...

Caro Luis

Todos sabemos o que vai pelo nosso país. Se houvesse outro tipo de postura nos governantes e demais temas afins, o que seria da maioria dos blogs?!
A vida carece de interiorização porque se vive de INJUSTA mas para consigo próprios/as - logo, essa onda, propaga-se até aos mais altos cargos de uma nação e desta para o mundo inteiro que sofre do mesmo mal - e a coisa generaliza-se.
Quer queiram ou não, se se estudasse mais outras coisas que dão resultados concretos de como tudo acontece, as pessoas começariam a ver as situações de outra forma e perceberiam o que fazer por si! - SEREM HONESTAS ATÉ NAS PEQUENAS COISAS - e não falo de roubos ou coisas tais, mas sim do que lhes vai na alma porque muito poucos são verdadeiros.
Mas não é menos verdade que a maioria prefere chamar a atenção, pela critica, maledicência, gosta de ir buscar o que está mal e nunca o que é bom, gosta de alarde e mais alarde irão fazer quando começarem a sentir que o dinheiro já nada vale...porque nem se tem para comer.
E porque um País é sempre a imagem do seu povo, NÃO ADIANTA bater na mesma tecla, porque nada se faz sem uma MUDANÇA RADICAL INTERIOR EM CADA UM/A!
É AÍ QUE BATE O PONTO E ESTÁ COMPROVADO QUE ASSIM É!!
Só não vê quem é teimoso/a!
Prefere-se o hábito a rotina das palavras e não uma volta de 180º MAS VINDA DE DENTRO!

E porque faço a minha parte, cabe-me igualmente o direito de contrapor o que vou lendo por essa blogosfera que pouco tem de desigual.
Ou tratam de política ou de futebol, ou das coisas más que acontecem pelo mundo e poucos são os que falam da Natureza, chamam a atenção do próximo no sentido positivo e gratificante, etc.etc.
Também sei que é por isso que a linha que sigo no meu blog, não interessa a muita gente, porque se torna inconveniente, porque ninguém está aí para a MUDANÇA!
Para além de falar em casa própria actuo em conformidade, o que faz e mim uma pessoa mais honesta comigo mesma.
É aquik que pretendo chegar. É naspequenas coisas dsa vida que emos de ser honestos, verdadeiros! A honestidade não está apenas na parte material! Ela é essencialmente visível nas opções que as pessoas tomam para consigo mesmas! - E nada tem a ver com colarinhos brancos, com delinquência, pequenos delitos, e desvios do "el dorado"!

Mas eu vim aqui propositadamente informá-lo sobre a minha odisseia que visou o seu 1º aniversário do blog.
E se soube, foi porque a Ana Martins fez um post a esse respeito e deixou lá alguns dias para que se tomasse conhecimento...
Mal li, vim até á sua página, e não dei por nada...apenas um selo e sem a data respectiva.
Depois disso, pensei fazer-lhe uma surpresa, que durou 3 dias sendo que uma noite até fiz uma directa, mas pelo menos, fica com uma festa idêntica á que fiz para o meu blog aquando do 2º aniversário que o Luis assistiu.
Se me quiser enviar a sua palavra passe o blog - porque se trata duma página inteira - passará para o seu dominio. Caso não, ficará apenas neste link porque contém ainda a minha pass-word.
Agora escolha...
Embora atrasados, os meus sinceros parabéns com a amizade do costume - sem pedinchice quanto a comentários - porque é disso a praxe na blogosfera.

Um grande abraço
honestamente - para não fugir ao tema do post
Sempre...
Com amizade
Click aqui e veja

Se quiser escrever-me o meu mail está na faixa da direita ou senão solicite-o á Ná.

Mariz

Mariz disse...

Luis

Peço desculpa de algumas gralhas mas ainda estou em convalescença de um problema que me atacou a mão e dói-me quando escrevo e sem querer cliko em duas teclas ao mesmo tempo.
Espero que não interprete á letra o que escrevi, porque generalizei no seu todo.
Espero que não hajam confusões, porque este tipo de comunicação presta-se a mal entendidos e assim, fica-se sujeito a interpretações que nem sempre são "honestamente" decifráveis - ou seja, de igual ou semelhante/s intenção/ões por parte de quem escreve.

Gosto que tudo fique muito claro, porque prezo-me de ser transparente e sempre digo o que sinto.
Sem medos!

Abraço meu de sempre...
Mariz

Mariazita disse...

Meu querido amigo Luis
O ícon da JUSTIÇA é uma mulher com os olhos vendados, para significar que ela é cega e, como tal, aplicada de igual modo em
qualquer pessoa.
Ora nós sabemos que isso é ficção. Em Portugal a Justiça é aplicada de acordo com muitos factores, a maioria deles pouco louvável.
Saldanha Sanches (que Deus o guarde em Seu seio) sabia do que falava...e nós também sabemos.

Vamos dando publicidade a estes "casos" com a esperança de que, um dia, o país acorde do seu marasmo.

Beijinhos

A. João Soares disse...

Caro Luís,

Felicito-te por aqui deixares estas palavras que não devem ser esquecidas. Perdemos este homem corajoso. Oxalá possamos contar por muito mais tempo com Medina Carreira outro homem que sabe pensar e tem coragem de dizer o que pensa.
Fazem falta a Portugal mais homens assim, e não como aquele que desenvolveu argumentos a preparar a audiência para uma decisão e, de repente, surpreendeu tudo e todos com a incoerência, a falta de lógica e de racionalidade de decidir de forma contrária.
É pena não ser seguida a metodologia de preparação da decisão constante em Pensar antes de decidir.

Um abraço
João
Do Miradouro

Luis disse...

Meus Bons Amiga(o)s, Mariz, Mariazita e João,
Obrigado pelas Vossas palavras de incentivo, e estejam descansada(o)s que sei bem destrinçar o trigo do joio e por isso não as interpretei como critica destrutiva, antes uma complementaridade ao que tenho trazido à Tulha. Como disse o meu muito obrigado por elas!
Querida Mariz é um Amor pela sua página que irei dar-lhe a Luz que ela merece. Conforme mensagem de "aviso à navegação" tive um problema informático que já está resolvido e por isso só agora consegui entrar em contacto convosco.
Beijinhos muito amigos.

A. João Soares disse...

Caro Luís,

Depois de ver este post e reflectir um pouco decidi transcrever para o meu blog.
Precisamos de mais pessoas frontais que tenham coragem de dizer o que pensam, quando pensam com lógica e sentido das realidades nacionais.

Acabo de publicar um outro post que contém vários links de interesse.

Abraços
João
Do Miradouro

José disse...

Caro Luís!

Pois é estes senhores,são eles que fazem as leis, e fazem-nas ao seu jeito.Foram estudar meteram-se na jotas, daí foram para o parlamento, com cursos tirados ou comprados,nunca fizeram nada nem sabem fazer, no parlamento começam já a pensar que podem ir para Ministres ou presidentes de qualquer coisa, e embora sejam de cores diferentes, quando é para votar essas leis estão todos do mesmo lado.
O Saldanha Sanches,vai fazer falta
lá isso vai,dizia umas verdades que eles já se habituaram a ouvir,
mas que não têm vergonha nenhuma.

um grande abraço,
José.

Carlos Albuquerque disse...

Amigo Luís,
Mais uma voz da verdade que se perdeu!
Mas outras se levantarão, certamente.
É tempo de não estarmos de braços cruzados, de não nos deixarmos acomodar.
Por nós passou já a idade da acção. Estamos na fase da reflexão e da influência que possamos ter. Como a que o Amigo Luís exerce, através do seu blog. Bem haja.
Um grande abraço

Mariz disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Mariz disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Luis disse...

Conforme Moita Flores escreveu no artigo: "Uma conversa torta
Quando o tema da corrupção vem à baila, são poucos aqueles que não têm opinião. E a maioria opina para dizer disparates e soltar velhos e novos rancores, mas quase todos pedindo meças ao património moral em que assenta o seu discurso, indignação, insulto ou proposta.
Quem olha o espectáculo à distância não deixa de perceber que o circo que se montou a propósito dos crimes associados ao poder são tretas de muita parra e fraca uva. A começar pelas eufóricas iniciativas partidárias apresentando mais este e mais aquele crime, denunciando mais esta e mais aquela patifaria, algumas delas bem longe de se provar que o sejam, apenas servindo para boa retórica e conversa fiada. E do que vi, estamos, mais uma vez, perante um embuste. Muito politicamente correcto, mas não passando de um punhado de areia que se atira para os olhos de quem nada percebe destes assuntos.
O problema dos crimes de poder, o fundamental, aquele que enquanto não for resolvido faz de tudo aquilo que se disse esta semana na Assembleia da República uma mera tempestadezinha num copinho de água, tem um nome: rapidez. Para que este debate seja sério, é a primeira questão a resolver: como vamos agilizar, acelerar os mecanismos processuais para que crimes desta natureza, depois de denunciados, sejam rapidamente julgados ou arquivados. Não se conhece uma mega fraude ligada às funcionalidades dos vários poderes que tenha sido julgada no prazo de um ano após a sua denúncia. Nem uma! Das centenas que ficaram conhecidas pelo caso Fundo Social Europeu, a esmagadora maioria prescreveu.
O Freeport tem mais de seis anos, e nada. Operação Furacão, estamos a zeros. A Face Oculta ainda nem começou a sério e já lá vão largos meses de notícias. O caso BPN é aquilo que se vê. O caso BPP nem se vê. E por aí adiante. A culpa é dos magistrados? Não. Dos polícias? Não. A culpa é do poder político que não criou, e já se percebeu que ainda não é desta que vai criar, os instrumentos necessários para fazer de qualquer processo desta índole um caso não apenas badalado por causa das escutas, buscas, acusações, acções que ao serem noticiadas só resultam em verdadeiros assassinatos do carácter e da honra dos intervenientes.
É raro um crime de homicídio, de assalto, de violação não estar em julgamento mais ou menos um ano depois de resolvido. Será que não percebem, ou não querem perceber? Ou não interessa perceber porque não é igual para os crimes de poder? Poeira, façam muita, mas não nos tomem a todos por parvos.
Francisco Moita Flores, Professor Universitário"
É mais um que chama a atenção do problema da Justiça em Portugal, mas quem está no "poleiro" nada faz porque assim está defendido!!!

Mariz disse...

Luis

É para dizer que estou aqui...dentro da sua casa...hihihi
São 5 da manhã e andei á procura de backgrounds e não é que não encontrei nenhum que gostasse, para a sua nova "galeria" de "mostra colectiva".
Parece-lhe bem o nome, para ir guardando os seus "awards"?!

E quanto a esta sua dissertação - estando eu retirada destas "lides caseiras" por conveniência própria e assumida - quero dar-lhe os parabéns porque é raro ler-se algo tão lucido e bem escrito. É que não sendo "maledicente" coisa que não suporto e porque não se sente rancor nas suas palavras, consigo ler de bom grado.
Mas não vou comentar mais este tipo de assuntos. Estou noutra plataforma. Espero que me compreenda e porque deixei já o porquê de tudo isto acontecer...
a FALHA É SOBRETUDO NOSSA! - e por isso também não se pode culpar a/s Lei/s.
Só quando os "Homens" mudarem!!!

Abraço e depois vou dormir.
Reparei no horário cedo com que me mandou os e-mails - srsrsr.

Sempre...
Mariz

Luis disse...

Minha Querida Amiga Mariz,
Uma vez mais o meu muito obrigado pelas suas, nossas insónias, Rsrsrsrsrsrsrsrs.
Logo à noite telefonar-lhe-ei conforme já lhe tinha dito.
Xi do coração para quem é tão solidária nas suas atitudes amigas.

Luis disse...

Meus Bona Amigos,
Por me parecer justo transcrevo aqui as palavras de Homenagem e despedida a este Homem ditadas do Coração por sua Mulher:
"Despedida eterna
Zé Luis: começámos esta tua última viagem (tu gostavas de viagens) na
cama 56 dos serviços de cirurgia 1 do Hospital de Santa Maria. Lia-te
poesia e um dia parámos neste poema da Sophia de Mello Breyner:
”Apesar das ruínas e da morte,
Onde sempre acabou cada ilusão,
A Força dos teus sonhos é tão forte,
Que tudo renasce a exaltação
E nunca as minhas mãos ficam vazias”.
Assim foi.
No teu visionário e intenso mundo, a voracidade de um cancro traiçoeiro
não te consumiu a alegria, a coragem, a liberdade.
Entraste pela morte dentro de olhos abertos. O mundo que habitavas era
rico de ideias, de sonhos, de projectos, de honradez e carinho.
Percebemos o que ia acontecer quando no fundo do teu olhar sorridente
brilhava uma estrela de tristeza. Quando te deixava ao fim do dia na
cama 56 e te trazia no coração enquanto descia a Alameda da Cidade
Universitária a respirar o teu ar da Universidade, das aulas e dos alunos
que adoravas, do futuro em que acreditavas sempre.
Foste intolerável com a corrupção, com os cobardes e oportunistas. Não
suportavas facilidades. Resististe à sordidez, à subserviência, à canalhice
disfarçada de respeitabilidade e morreste como sempre viveste - livre.
Uma palavra para aqueles que te acompanharam nesta última viagem:
para os melhores médicos do mundo, para as melhores equipas de
enfermagem e de apoio, num exemplo de inexcedível dedicação ao
serviço médico público. Vivi com emoção diária o carinho com que te
cuidaram.
Uma palavra de gratidão sentida para o Professor Luis Costa e para o
Paulo Costa. E para um velho amigo de sempre o Miguel.
2
Também para Laura e para o Jorge e para a minha mãe e toda a família
que nunca te deixou.
Por fim uma palavra para aqueles amigos que inventaram uma barricada
contra a morte no serviço de cirurgia 1, cama 56, e te ajudaram a escrever,
a pensar, a continuar a trabalhar: o João Gama, o João Pereira e senhor
Albuquerque, cada um à sua maneira.
Suspiraste nos meus braços pela última vez cerca da 1,15 da madrugada
do dia 14 de Maio.
Vai faltar-me a tua mão a agarrar na minha enquanto passeávamos e
conversávamos.
Provavelmente uma saudade ridícula, perante a força do exemplo e da
obra que nos deixaste e me foi trazido por todos aqueles que te
homenagearam – a quem deixo a tua eterna gratidão.
Tenham a coragem de continuar.
[16.05.2010 - Maria José Morgado]"
Sem mais comentários...