"Vós que lá do vosso império, prometeis um mundo novo...CUIDADO, que pode o povo, querer um mundo novo a SÉRIO!" In: António Aleixo

13/12/2009

Ayrton Senna, um exemplo a não esquecer!

Porque Ayrton Senna não foi sómente um dos maiores pilotos da F1. Ele foi mais que isso!


Esta cena fala por si! Ayrton Senna pára o carro na volta de classificação, em SpaFrancochamps (Bélgica), e sai correndo sem pensar que podia até ser atropelado, para ajudar o então piloto da Fórmula 1 Erik Comas, em1992 que havia acabado de se acidentar.Nunca mais se viu este tipo de gesto na Fórmula 1.

Tomara que este vídeo nunca se perca! Ayrton Senna será sempre ÚNICO!

Quando vires um homem bom, tenta imitá-lo; quando vires um homem mau,examina-te a ti mesmo. (Confúcio)

6 comentários:

Reyel Angel disse...

Que emoção! Estou com olhos rasos...
Realmente Ayrton Senna foi excepcional, foi humano!
Bjos na alma!

Luis disse...

Boa Amiga,
Agora que foi considerado o melhor piloto de fórmula 1 nada mais belo que confirmá-lo como o piloto mais solidário!
Para quem não saiba ele foi sócio e adepto do meu Clube de futebol -CF Os Belenenses!
Beijinhos.

Fernanda disse...

Querido Luís,

Nunca tinha tido conhecimento deste facto.
Que Ayrton foi o melhor piloto de formula 1, sem dúvidas, mas o resto é novidade.

Felizmente há gente boa em todo o Mundo e muitas vezes onde menos se espera.

O pensamento de Confúcio não podia estar mais certo e cada vez mais actual.

Beijinhos

Luis disse...

Olá Amigas,
Obrigado pelas vossas palavras.
Abraços amigos.

A. João Soares disse...

Caro Luís,

O Ayrton Senna foi um místico, um homem bom. É um exemplo a mostrar no Natal.
Tenho pena que a amiga Reyel Angel tenha razão quando diz que ele «foi excepcional. Foi humano». Infelizmente estas atitudes não são vulgares, são excepcionais. Deviam ser normais, frequentes, comuns no dia-a-dia. Mas o ser humano está estranhamente individualista, materialista, egoísta.
Porém, há excepções: gosto de andar a pé e há dias num passeio inclinado coloquei o pé numa coisa que parecia ser uma folha de árvore, das muitas que o outono atira para o chão. Mas era um bocado de uma guarnição de automóvel, de plástico duro que escorregou como um skate e caí, sem gravidade porque a escorregadela foi lenta e a queda foi amortecida. Quando me levantava reparei que um carro que passava tinha parado e retomou a marcha ao ver-me levantar sem necessitar ajuda. Fiquei feliz por ver que há pessoas humanas e prestáveis. Já tive duas outras provas semelhantes.
Oxalá os mais jovens aprendam a respeitar os outros e ajudar nos momentos certos.

Abraços
João

Luis disse...

Amigo João,
É realmente estranho que se diga que esta atitude é extraordinária quando deveria ser sempre normal entre seres humanos!
Um Abração Amigo.