"Vós que lá do vosso império, prometeis um mundo novo...CUIDADO, que pode o povo, querer um mundo novo a SÉRIO!" In: António Aleixo

20/02/2010

"Confio muito em mim"... "o lider sou eu" ...


Os coleccionadores de pensamentos de gente célebre talvez tenham dificuldade em saber o autor desta frase, tão elucidativa:

"Eu confio muito em mim e por confiar muito nas minhas capacidades e nas minhas convicções, dizem que sou autoritário".

Terá sido pronunciada por: Cristo? Maomé? Gandhi? Lutero? Martin Luther King?, Dalai Lama? Einstein?, Descartes? Pinochet? Salazar? Franco? Churchill? De Gaulle? Eisenhower? Mao Tse Tung? …

Certamente, nenhum deles se pronunciou em público a seu respeito nestes termos.

Mas tenho dúvidas que Adolfo Hitler, Pinochet, Hugo Chávez, Robert Mugabe, Idi Amin, Muamar Kadafi tenham dado tal mostra de vaidade, convencimento de infalibilidade, autoritarismo, despotismo ou ditadura.

Ainda não descobriu? Não quero que perca mais tempo, faça clique http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Nacional/Interior.aspx?content_id=1499426


Editado no Blogue "O Miradouro", pelo meu Amigo João

4 comentários:

M. Lourdes disse...

Luís
Eu adivinhei logo, apesar de não gostar de política. Também no contexto da vida actual, quem mais podia ser?
Beijinhos
Lourdes

A. João Soares disse...

Caro Luís,

Como sabes, aos 31 anos, iniciei um curso, que hoje se diria de pós-graduação, de três anos seguido de estágio de um ano, em que se era preparado para assessorar a tomada de decisões, estudo do problema e de todos os factores que o afectam, alinhar todas as hipóteses viáveis, compará-las face a todos os factores e à finalidade pretendida e terminar com uma proposta devidamente justificada, que poderia ser ou não a escolhida pelo decisor.

Depois, era feita a elaboração das directivas resultantes da decisão, e o acompanhamento e controlo da execução e planos dos reajustamentos necessários, devidos ao evoluir dos factores implicados.

Isto é só para dizer que nunca era usada a opinião pessoal, mas apenas a análise dos dados existentes, nunca ninguém se gabava das suas qualidades, das suas capacidades.

Também, nas biografias de gente célebre nunca vi que uma delas se gabasse de ser infalível ao ponto de «confiar muito em si e nas suas capacidades e convicções».

Estas palavras fazem imaginar virem da cabeça de um indivíduo vocacionado para ser o pior ditador jamais existente em qualquer momento da história universal. São palavras de uma infelicidade total, o que demonstra um cérebro pouco saudável, pouco consciente das realidades e das suas responsabilidades, em democracia.

Um abraço
João

Luis disse...

Caro João,
Na realidade não passa pela cabeça de alguém sensato fazer tais afirmações! Para além de falta de humildade revela uma mentalidade ditatorial e isso torna-se muito perigoso em quem tem as responsabilidades que "ele" tem!
Apresentar-se como um Deus que tudo sabe não lembra ao Diabo! Sempre ouvi dizer que quem mais sabe mais julga pouco saber! O teu exemplo é nesse sentido!
Um abraço amigo.

Luis disse...

Querida Maria de Lourdes,
Realmente quem mais poderia ser senão o Marquês de Freeport?
Obrigado pela sua visita, volte sempre que será bem recebida!
Um beijinho muito amigo.