"Vós que lá do vosso império, prometeis um mundo novo...CUIDADO, que pode o povo, querer um mundo novo a SÉRIO!" In: António Aleixo

11/07/2010

Sabedoria de Rabino... O Aborto!


Nessa polêmica sobre aborto e pesquisa de células de embriões, um grupo resolveu entrevistar várias autoridades médicas e religiosas com o tema :
"Quando é o princípio da vida"
Uns disseram que a vida começa na hora do parto, outras autoridades responderam que o ser é considerado vivo quando o coracao é formado,outras responderam que a vida começa no momento da concepção, etc, etc...
Um Rabino respondeu: para mim a vida começa quando as crianças terminam a Universidade, mudam-se para suas casas e levam consigo todos os animais de estimação.
Shalom!

Enviado por e-mail, pela Amiga Mariazita

6 comentários:

Luís Coelho disse...

Se a estupidez pagasse imposto, não era necessário pagar agora as scuts.
Parecem-me descabidas mais palavras para tamanha barbaridade

Luis disse...

Amigo Luis Coelho,
Na realidade este rabino, ele próprio, parece ser "um aborto" pois não só não teve graça como deu azo a que o assunto acabasse a ser tratado com leviandade por quem o não devia fazer! Daí a figura que escolhi para encabeçar o post.
Um abraço amigo.

Fernanda disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mariz disse...

Luis
Parece-me - e isto pelo teor dos mails enviados pela mesma bloguista - que não são para se dar crédito, por se revestirem de barbaridades como referiu o comentador acima e até o Luis o apontou como leviano.
E eu pergunto-lhe:
para quê então, colocar mais coisas vindas de tal pessoa que me parece ser pouco coerente com o que envia?!

Mas quanto ao tema em si:
Os espiritualistas têm outra visão das coisas:
a vida realmente começa, quando a alma ao 6º mês de gestação através de um átomo se junta ao corpo físico. A medicina como já vai sendo habitual, só trata da matéria física e do que vem aprendendo nos livros!! - tal como as religiões só apontam numa direcção!

Deixo-lhe um conselho amigo:
para que este blog não se torne num reflexo daqueles que se vêm mostrando como incongruentes, por favor desligue-se de certas influências nefastas que se servem de mails apenas para desestabilizar as mentes e confundí-las!
Perceberá agora porque razão lhe pedi, bem como a tantos outros que não me enviassem o que vos chega de variadíssimas pessoas.

Não sou bem como S.Tomé, mas a minha vida necessita de experiências para poder avaliar o Caminho que
piso a fim de não insistir nos mesmos erros.
Mas ainda há quem pense o contrário...como essa "sua amiga Mariazita"!
E fico-me por aqui....porque recordo a tal descabida "oração" também enviada por ela...
E assim vai a blogosfera!!!

Luis disse...

Meus Bons Amigos,
Compreendo e aceito de bom grado os vossos comentários que me pareceram muito pertinentes mas gostava que percebessem o porquê de o ter postado. O Rabino quando fez aquela afirmação não estaria a referir-se ao "aborto" mas sim ao começo da Vida de cada um, foi isso que pensei na altura!
É que realmente a VIDA só começa quando saímos do aconchego do lar dos nossos Pais e começamos a "gatinhar" por nós próprios e se virmos a resposta por esse prisma o Rabino só pecou por ser pouco preciso e talvez leviano ao responder como o fez!
Obrigado pelas vossas boas palavras e recebam as minhas saudações amigas.

A. João Soares disse...

Caro Luís,

Fizeste bem em publicar. Afasta-te de pessoas exclusivistas que só elas se consideram certas. O rabino referiu-se um conceito de vida que nada tem a ver com a vida biológica ou espiritual, mas à vida responsável, independente, autónoma.
Antes do momento referido pelo rabino, a «vida» é uma existência presa por um cordão umbilical de dependência à família, ao fornecedor da habitação, da bolsa de estudo, do conhecimento (professores), etc.
É pena que algumas pessoas, vendo a vida a preto e branco, fechadas em estreitos conceitos, se atrevam a condenar com palavras agrestes os que pensam de maneira diferente que elas não conseguem compreender.
Sejamos pela compreensão, pela harmonia universal.

Um abraço
João
Do Miradouro