"Vós que lá do vosso império, prometeis um mundo novo...CUIDADO, que pode o povo, querer um mundo novo a SÉRIO!" In: António Aleixo

27/04/2010

História de Portugal através da Pintura

Uma Coletânea de telas maravilhosas que refletem o Portugal de outros tempos!

8 comentários:

A. João Soares disse...

Caro Luís,

Tomando as tuas palavras à letra, vê-se que «o Portugal de outros tempos» reflectido nas telas era o País dos ricos dos Reis e poderosos que os rodeavam e para quem nada faltava, mas que num plano materialmente inferior sobreviviam milhares de desprotegidos de entre os quais eram sacados uns jovens robustos para irem combater em benefício do Rei.
Mais ou menos como agora em que uns recebem o salário mínimo e outros recebem milhares de vezes mais.
Os governos recentes vieram mostrar que as nossa batalhas contra Espanha foram erros que eles agora estão a emendar, mandando as grávidas parir a Badajoz e os de outras localidades próximas da fronteira irem tratar da saúde do outro lado.
E assim se anula a aventura de Afonso Henriques, as conquistas do Minho ao Algarve, as batalhas de D. João I e de Nuno Álvares Pereira, o feito dos restauradores de 1640, e dos navegadores dos descobridores e depois dos soldados mobilizados para uma guerra de 13 anos. Para quê? Todo esse esforço foi anulado por maus portugueses que só quiseram o poder por vaidade e para ostentação da sua estupidez e arrogância. Destruíram tudo o que de bom foi feito pelos grandes da história.
Mas, então como agora, o povo continua a ser como a relva dos estádios de futebol que é impiedosamente pisada por ricaços. bem pagos,

Mas, caro Luís, é bom fazer as pessoas pensar que Portugal já foi grande e é apontado como o pioneiro da globalização de que o mundo só agora fala.

Um abraço
João
Do Miradouro

Fernanda disse...

Querido amigo Luís,

Gostei. Sabe que aprecio muito arte.

Beijinhos,

Na Casa do Rau

Maria Beatriz Ferreira disse...

Amigo Luís,

Sou cunhada do Ná, da sua fada madrinha...não podia ter arranjado melhor!!!

Tal como ela, também pinto e frequentei escola. Aprecio muitíssimo as Artes, todas.
Não me podia passar indiferente este belo video, com obras que nunca vi.

Obrigada.
Beijinhos
Beatriz.

Luis disse...

Meus Bons Amigos NÁ, Maria Beatriz e João,
Obrigado por terem visitado e gostado dos quadros falando da nossa História. É uma coletânea pouco ususl e por isso achei por bem aqui colocá-la.
É necessário aumentar a nossa auto-estima que ultimamente anda tão por baixo.
João,
Não te zangues comigo mas lembraste-me o "Velho do Restelo"!
Nós portugueses somos um rebanho tresmalhado que, infelizmente, só faz algo de valor quando aparece um "pastor" que com o seu cajado o põe no bom caminho! Penso que é a nossa "sina" e acredita que não aprecio ditaduras mas gosto de organização e ordem coisa que só existe quando os Valores são respeitados! E atenção que um "pastor" não anda à cajadada com o seu rebanho pois até tem muitos cuidados com ele...É ele a sua sobrevivência!
Um abraço amigo.

Graça Pereira disse...

Querido Luis
A nossa História de que tanto me orgulho está aqui maravilhosamente pintada e descrita...Eu, como boa aluna de História que sempre fui, ie lembrando mentalmente o que cada tela sugeria...é um vídeo brilhante!
Parabens!
Beijo amigo
Graça

A. João Soares disse...

Caro Luís,

O mal não está no pastor, mas nas ovelhas que, estando na dita democracia, não estão preparadas para se assumir no seu direito de cidadania, para participarem civicamente na reconstrução do Portugal que já foi grande e deu Mundos novos ao Mundo.
Falta-nos uma escola no estilo da finlandeza bem explicada no post Escola na Finlândia.
A população deve deixar de ser ovelha para ser cidadã, para participar adequadamente na vida do nosso País.

Um abraço
João
Só imagens

Janita disse...

Querido amigo Luis.
Lindíssimas estas telas que retratam bem a grandiosidade e bravura dos nossos antepassados. Pena que não apareça aqui uma tela de Egas Moniz, aio e tutor do nosso 1º rei, quando se apresentou em Castella com uma corda ao pescoço e de toda a sua família, entregando as suas vidas como penhor, pela falta de palavra de D. Afonso Henriques.Assim eram os homens de carácter e os únicos dignos de usar barba.
Um beijinho grande.

Janita disse...

Amigo Luís, só voltei para acrescentar uma coisa que me esqueci de referir. Como sabe, naqueles tempos a barba era sinónimo de grande dignidade,valor e nobreza de carácter.
Um abraço