"Vós que lá do vosso império, prometeis um mundo novo...CUIDADO, que pode o povo, querer um mundo novo a SÉRIO!" In: António Aleixo

30/04/2010

Manutenção dos grandes investimentos


Tenho-me perguntado amiudadas vezes o porquê dos nossos governantes teimosamente quererem manter grandes investimentos em áreas ligadas à construção civil.

Dizem-nos que isso resolverá a crise do desemprego, que irá fomentar novos serviços e empresas, etc., etc. Sinceramente tudo isso poderá acontecer mas com gastos astronómicos actualmente incomportáveis para o País, obrigando-o a contrair empréstimos vultuosos num momento em que o dinheiro obtido nestas condições está “caríssimo”, devido aos juros crescentes que se adivinham.

Por outro lado o emprego que irá gerar cairá no pessoal emigrante, em especial, dos Países do Leste, do Brasil e de Países Lusófonos visto os portugueses preferirem estar no desemprego a irem trabalhar para as obras… http://domirante.blogspot.com/2010/04/estado-incentiva-o-ocio.html

Afinal também Cavaco Silva, igualmente preocupado, hoje disse que “faz sentido reponderar” investimentos com pouca produção e mão-de-obra nacional http://www.publico.pt/Economia/presidente-diz-que-faz-sentido-reponderar-investimentos-com-pouca-producao-e-maodeobra-nacional_1434871

As empresas que irão beneficiar destes investimentos têm nos seus quadros ex-ministros e “boys” dos partidos que passaram pelos diversos governos até agora e, como tal, dada a promiscuidade, leia-se corrupção, existente na política e na alta finança, tudo leva crer que existem promessas para as concretizar que dificilmente poderão ser sustidas. Há sempre o perigo de aparecerem nos órgãos de comunicação social sinais do que aqui se aponta, isto apesar do ataque a que têm sido sujeitos no sentido de os controlar…
http://domirante.blogspot.com/2009/04/liberdade-de-expressao-em-perigo.html


Será esta a verdadeira razão para esta “teimosia” absurda? Tudo leva crer que sim! Até porque os estudos sérios, executados por técnicos competentes, que têm aparecido têm demonstrado que esses mesmos investimentos ou não são oportunos ou em nada irão servir o País.

Estou-me a lembrar nos aeroportos que queriam construir na Ota, Montijo e agora em Alcochete, na terceira ponte sobre o Tejo, na área de Lisboa, nas auto-estradas que varrem o País de lés-a-lés, algumas delas até com pouco trânsito, no megalómano TGV que, a ser construído será mais um “elefante branco”, no desmantelamento de linhas férreas de penetração existentes que poderiam também ser utilizadas para o turismo, para além de se diminuir o tráfego nas rodovias, etc., etc.

Acresce que os tais ex-ministros e os “boys”, atrás referidos, quando chamados a justificar as suas decisões têm revelado pouca competência, cultura e um atrevimento só possível devido à sua ignorância nestes assuntos.

Serei miserabilista nestes meus pensamentos ou haverá altos interesses por trás disto tudo? Gostava de pensar que estou enganado mas, infelizmente, o tempo me dará razão… Meia dúzia a “encherem-se” e Portugal a ficar irremediavelmente mais pobre!
Obras Públicas sem controlo ???

Até quando permitiremos que este estado de coisas se mantenha? Temo que já seja tarde demais…

6 comentários:

Jacque disse...

Obrigada pelo lindo comentário no meu Blog: SENTIMENTOS. Vou começar a fazer outros vídeos, apareça sempre.

Beijo

Jacque disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
A. João Soares disse...

Caro Luís,

Um bom post com muita actualidade e alertando para desvarios que podem hipotecar o futuro dos actuais jovens e aumentar os efeitos nocivos da crise.

Afinal sabes como toda a gente que quem tem o poder real no país são os construtores civis e os bancos que os apoiam. Não é por acaso que estas «instituições» albergam a maior parte dos políticos em fins de vida.

Quanto aos custos do capital, é pena que os governantes o vão procurar no estrangeiro e não em certificados de aforro e obrigações do tesouro a um juro um pouco inferior ao que pagam lá fora, e que beneficiaria os poupadores nacionais. Mas, atenção, esta solução não é do agrado dos bancos, porque deixariam de ter tantos depósitos a prazo e porque também ganham como intermediários nos empréstimos estrangeiros.

ELES estão todos, salvo eventuais excepções, conluiados, cúmplices, coniventes com estes ataques ao dinheiro dos contribuintes.

Agradeço-te teres aproveitado posts dos meus blogs, onde estes temas têm merecido alguma atenção.

Um abraço
João
Sempre Jovens

Luis disse...

Caro João,
Estamos numa encruzilhada em que o poder decisório está em péssimas mãos. Com o "sistema" instituido dificilmente poderemos tomar o melhor rumo. Precisávamos de um PR com outras características. É muito brando para não dizer mole e neste momento precisávamos de Alguém com Força e "Estaleca" para dar um murro na mesa!
Um forte abraço muito solidário e amigo.

A. João Soares disse...

Caro Luís,

Mais uma achega a este tema.
Segundo o Público, Sócrates garante que investimento previsto no PEC "vai continuar", ao mesmo tempo que o Presidente diz que "faz sentido reponderar" investimentos com pouca produção e mão-de-obra nacional e o Portas vai tentar travar na AR o projecto do TGV

Enquanto o PR e Portas olham para o mundo real, sem ilusões, com sensatez, com racionalidade., o PM, pelo contrário, mostra viver de fantasias e agir sob pressão das virtualidades da especulação. É pena que o País esteja na dependência do poder deste PM demasiado virtual e inseguro, incapaz de se libertar da especulação e de outras pressões e continuar a avançar num erro que irá, sem dúvida, hipotecar a vida das próximas gerações.

Que pena não ser capaz de raciocinar com lógica, liberto das pressões dos construtores e dos banqueiros. Que pena que todos os portugueses estejam a ser sujeitos às consequências dos erros deste homem e de uma equipa de abúlicos que não têm coragem de lhe gritar que «o rei vai nu», de o fazer acordar para as realidaes e as responsabilidades que lhe pesam nos ombros.

Um abraço
João
Do Mirante

Luis disse...

Caro João,
Grato por este reforço ao post dando-lhe ainda mais força.
Acredita que o PM não dá ponto sem nó... "ele" e os seus "pares" devem estar hipotecados com promessas ao poder financeiro e quiçá com favores já recebidos que não lhes permitem inverter a marcha! Infelizmente é isto que penso pois não o julgo estúpido... a ponto de ir para o abismo sem mais nem menos!!!
Um abraço solidário e muito amigo.