"Vós que lá do vosso império, prometeis um mundo novo...CUIDADO, que pode o povo, querer um mundo novo a SÉRIO!" In: António Aleixo

15/04/2010

IQBAL MASIH

Iqbal Masih (b. 1983 - 16 de abril de 1995), era um rapaz paquistanês que foi obrigado a trabalho forçado em uma fábrica de tapetes na idade de cinco anos, se tornou uma figura internacional para o trabalho forçado Frente de Libertação na idade de 10 e foi brutalmente assassinado em 1995 na idade de 12 anos por ter sido baleado nas costas com uma espingarda calibre doze.
Iqbal Masih nasceu em Muridke, uma pequena aldeia rural fora de Lahore no Paquistão. Logo após o nascimento de Iqbal, seu pai, Saif Masih, abandonou a família. mãe de Iqbal, Inayat, trabalhou como faxineira, mas achou difícil fazer dinheiro suficiente para alimentar todos os filhos de sua pequena renda.
Iqbal foi vendido como escravo infantil na faixa etária de quatro para o equivalente a 12 USD. Ele foi forçado a trabalhar em um tear de tapete em uma pequena cidade chamada Muridke perto de Lahore, e foi feito para trabalhar doze horas por dia. Devido às longas horas de trabalho duro e alimentação insuficiente e cuidado, Iqbal foi subdimensionado. Aos doze anos de idade, Iqbal era do tamanho de um menino de seis anos de idade.
Na idade de 10, ele escapou da escravidão brutal e mais tarde se juntou ao BLLF ( Frente de Libertação do trabalho forçado do Paquistão) para ajudar a erradicar o trabalho infantil em todo o mundo. Iqbal ajudou mais de 3.000 crianças paquistanesas que estavam em trabalho forçado fugir para a liberdade, e fez discursos sobre o trabalho infantil em todo o mundo.
Ele foi assassinado no domingo de Páscoa de 1995, em Muridke no meio de uma estrada movimentada. Alguns moradores foram acusados do crime, mas é assumido por muitos de que ele foi assassinado por membros da "Máfia do tapete" por causa de sua luta contra a indústria do famoso trabalho infantil.
Em 1994, Iqbal foi agraciado com o Prêmio Reebok de Direitos Humanos. Em 2000, ele recebeu postumamente Children's The World's Prize para os Direitos da Criança.


The World's Children's Prize for the Rights of the Child.

5 comentários:

Mariazita disse...

Meu querido amigo Luis
Um impressionante relato da vida dum pequeno mártir.
Causa revolta saber de casos assim, principalmente porque sabemos que não é uma excepção; ao contrário, existem milhões de crianças, ainda hoje, exercendo verdadeiro trabalho de escravos, que muitas vezes acabam por não resistir a maus tratos, doenças, subalimentação...enfim, tudo de que deveriam viver afastados.
Até quando?

Beijinhos

Pelos caminhos da vida. disse...

Quer saber porque vc é E-S-P-E-C-I-A-L???

Te espero lá no meu cantinho.

beijooo.

Mariz disse...

Caro Amigo

Já estou cá, mas muito ocupada para 2ª feira depois das 24h - dia do aniversario do Blog que vai ficar até...... ????? - tem-me "dado água pela barba" - coisa que não tenho!
Mas já me apercebi que a maioria dos comentadores amigos que esperam que eu coloque novo post nunca sabem bem quando..???? porque o que vêm nos respectivos quadrozinhos que exibem na faixa lateral é um post meu antigo que permanece tempos sem fim...coisas do blogspot. Foi o ue aonteceu consigo.
Foi por isso que deixei de seguir as pessoas só o faço anonimamente.
Portanto, agora tenho um que antecede o do aniversário para as pessoas saberem. Já publiquei ontem.

Agradeço os comentários anteriores e deixo o meu

Abraço carinhoso
Sempre...

Mariz

Graça Pereira disse...

História comovente e triste num rosto cheio de alegria e vida...são assim os rostos dos que vivem e morrem com dignidade.
Obrigada por me dares a conhecer esta história tão linda.
Beijo carinhoso
Graça

Luis disse...

Minhas Queridas Amigas,
Acreditem que a sua imagem me agravou ainda mais o sentimento de tristeza que me assistiu ao ter tido conhecimento da sua história.
É que o seu sorriso lindo escondia o sofrimento que tinha tido quando fez trabalho escravo durante 6 anos... Transmitia a sua alegria em ajudar as outras crianças a libertarem-se do Jugo das "máfias dos tapetes" que afinal não lhe deram tempo para o fazer conforme pretendia. É um heroi-criança e por isso ainda tem mais mérito o seu sacrificio!