"Vós que lá do vosso império, prometeis um mundo novo...CUIDADO, que pode o povo, querer um mundo novo a SÉRIO!" In: António Aleixo

19/03/2010

Corrupção a quanto obrigas!...

Há uns tempos atrás, apareceu, lá nos Serviços, uma nova Jurista!
A "senhora" não fazia rigorosamente nada! Não fazia, não aparecia, enfim...uma vergonha!

Perante a situação, o "Arquitecto da CML" decidiu, com boa disposição, confrontar o Director:
- ''Sr. Director, não estou a perceber! Esta Jurista não está a fazer nada! Temos que resolver esta situação! O serviço, desta forma, vai ser posto em causa. Temos que resolver esta situação e substituir esta senhora por outra!"
O Director respondeu:
- "Tenha calma, eu vou ver o que se passa e vamos tentar resolver a situação!"

A conversa ficou por ali.

Passados uns dias, o Arquitecto da CML cruzou-se, no corredor, com o Director e este disse-lhe:
- "Arquitecto! Esqueça a jurista, ela é intocável!"

O "Arquitecto da CML" esqueceu o assunto! Ele, ao longo de muitos anos, já tinha conhecido muitos intocáveis e sabia o que isso significava!
Agora, ao ler a Visão, "o Arquitecto" percebeu porque é que a Senhora era "intocável":

Chama-se Diana Barroso Soares, é mulher de Rui Pedro Soares (sobrinho do Mário Soares) e este era um dos protegidos de António Costa.
A senhora foi para a Gestão Urbanística em Outubro de 2007 e "o Arquitecto da CML" já lá estava há mais vinte anos...

Enviado por e-mail, pelo Amigo V. Clemente

3 comentários:

Anónimo disse...

Tenho muita pena, Arquitecto, mas o artigo da revista Visão não está correcto, porque se refere à dita intocável jurista como “funcionária” da DMGU.
De facto, a senhora doutora nunca “funcionou”, simplesmente porque nunca ninguém conseguiu pô-la a “funcionar”, nem sequer os directores municipais que tiveram a veleidade e pretensão de a pôr a fazer qualquer coisinha…
Provavelmente, coitada, porque o tempo não lhe chegava para dar conta da Relance, uma publicação de excelência com falência anunciada…
Mas a dúvida não me larga: será que a senhora doutora, como qualquer técnico da CML, estava superiormente autorizada à acumulação de funções, na qualidade de sócia de uma empresa de comunicação?
Pelo menos é o que consta aqui:
http://www.cmjornal.xl.pt/noticia.aspx?contentid=F9538FD8-5461-4B00-8F15-186C32399B3B&channelid=00000021-0000-0000-0000-000000000021
Ou está obviamente dispensada de pormenores insignificantes, como mulher do boy?
Numerobis

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Celle disse...

Olá Luis,
não tenho o que dizer, quero apenas fazer-lhe uma visitinha amiga e deixar-lhe meu abraço.
Tenha um bom dia!
Celle